Início Política NATO reúne este mês órgão máximo militar e convida Suécia e Finlândia

NATO reúne este mês órgão máximo militar e convida Suécia e Finlândia

55
0

A NATO convocou para janeiro uma reunião do órgão máximo militar da Aliança, que irá juntar os comandantes das Forças Armadas dos 30 Estados-membros e também da Suécia e da Finlândia, que voltam a ser convidados, foi hoje anunciado.

A reunião do Comité Militar está agendada para 18 e 19 de janeiro.

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, participará no primeiro dia dos trabalhos, embora o encontro, convocado para o quartel-general da organização em Bruxelas, seja conduzido pelo almirante holandês Rob Bauer, presidente do Comité Militar, a mais alta autoridade militar da Aliança Atlântica.

Publicidade

Stoltenberg deverá ainda fornecer atualizações sobre os objetivos políticos e discutir os desafios de segurança enfrentados pela Aliança.

No encontro serão discutidos “temas de importância estratégica” para os Estados-membros da organização, segundo nota informativa divulgada pela Aliança.

Entre os pontos que vão constar da agenda do encontro o destaque vai para a análise da guerra na Ucrânia, embora também sejam incluídos outros temas de especial interesse para a NATO, como o destacamento de forças para o Kosovo, que tem estado sob discussão e vigilância nas últimas semanas devido à escalada de tensões na região.

O Comité Militar discutirá igualmente a missão de não-combate da NATO no Iraque com os seus parceiros operacionais: Suécia, Finlândia e Austrália.

Os líderes militares discutirão os esforços contínuos desta missão para ajudar o Iraque a promover maior estabilidade, para construir as suas próprias instituições de segurança e defesa e para erradicar o terrorismo.

A Finlândia e a Suécia formalizaram em maio passado o seu pedido de adesão à NATO de forma conjunta, após décadas de não-alinhamento, uma decisão justificada pela alteração do quadro de segurança europeu na sequencia da invasão russa da Ucrânia.

Artigo anteriorLuxemburgo: Controlos de velocidade (3 janeiro)
Próximo artigoGoverno: Montenegro diz que “não é tempo de abrir crise política” e que Medina “é peso morto”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui