Início Atualidade Macron propõe aumento das despesas militares da França para enfrentar ameaças

Macron propõe aumento das despesas militares da França para enfrentar ameaças

39
0

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou hoje um aumento substancial do orçamento das forças armadas até 2030, para enfrentar ameaças e ter em conta o impacto da guerra na Ucrânia.

Macron disse que vai propor um orçamento de 413 mil milhões de euros na nova Lei de Programação Militar (LPM) para o período 2024-2030, mais um terço do que os cerca de 295 mil milhões de euros no plano para 2019-2025.

O aumento visa assegurar “a liberdade, a segurança, a prosperidade, o lugar no mundo” de França, disse Macron, citado pela agência norte-americana AP.

Publicidade

O anúncio foi feito na base aérea de Mont-de-Marsan, situada na região de Nouvelle-Aquitaine, no sudoeste da França.

Coincidiu com a reunião de hoje na base aérea norte-americana de Rammstein, na Alemanha, dos aliados da Ucrânia para decidir novos apoios em equipamento militar às forças ucranianas.

A Ucrânia tem pedido o fornecimento de tanques de combate para fazer frente às tropas russas, que invadiram o país em 24 de fevereiro do ano passado.

Macron disse que a proposta da nova LPM “reflete os esforços do país a favor dos seus exércitos”, que serão “proporcionais aos perigos”.

“Ou seja, consideráveis”, afirmou, segundo a agência francesa AFP.

Referiu ameaças de guerra híbrida, ataques cibernéticos crescentes a infraestruturas críticas e ameaças contínuas do terrorismo.

A proposta da LPM, que será apresentada ao parlamento em março, duplica o orçamento da Direção de Inteligência Militar (DRM) e da Direção de Inteligência e Segurança da Defesa (DRSD), segundo a AFP.

O plano pretende ter em conta as consequências da guerra na Ucrânia, e aumentar os gastos da defesa nos próximos anos para reforçar a segurança interna da França e a sua capacidade para operar no estrangeiro.

Macron também defendeu a modernização do arsenal nuclear francês para reforçar o papel do país como potência global independente.

A França é o único Estado-membro da União Europeia (UE) com armas nucleares, depois de o Reino Unido ter abandonado o bloco.

A apresentação da futura LPM era aguardada com expectativa em França, uma vez que a guerra na Ucrânia pôs em evidência as fraquezas do sistema militar francês, de acordo com a AFP.

O Governo pretende continuar o esforço financeiro na defesa, depois de a LPM de 2019-2025 ter posto fim a anos de cortes orçamentais nas forças armadas.

Artigo anteriorPresidente da Guiné-Bissau rende homenagem a “líder imortal” Amílcar Cabral
Próximo artigoAla dos Namorados de regresso aos discos e à estrada em 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui