Início Conflitos Iraniano detido por suspeita de preparar atentado biológico na Alemanha

Iraniano detido por suspeita de preparar atentado biológico na Alemanha

118
0

Um iraniano de 32 anos, suspeito de preparar um atentado biológico com cianeto e ricina, foi detido no oeste da Alemanha, anunciaram hoje a polícia e o escritório do procurador-geral em Dusseldorf.

As acomodações do suspeito, em Castrop-Rauxel (Renânia do Norte-Vestfália), foram revistadas durante a noite para encontrar possíveis “substâncias tóxicas” destinadas a realizar um ataque, segundo um comunicado do gabinete do procurador-geral e da polícia de Münster.

O iraniano é “suspeito de ter preparado um grave ato de violência que ameaça a segurança do Estado ao obter cianeto e ricina com o objetivo de cometer um ataque de extremismo islâmico”, especificaram os investigadores.

Publicidade

As autoridades não deram, no entanto, detalhes sobre a existência ou não de uma ameaça concreta e imediata e qual era o nível dos preparativos.

A ricina é um agente muito tóxico classificado pelo Instituto Robert Koch, responsável pela vigilância médica médico e sanitária na Alemanha, como “arma biológica” e é extraído das sementes da planta ricina. Pode ser um veneno mortal, como o cianeto.

Uma segunda pessoa também foi detida durante a operação. Segundo o canal de televisão público WDR, trata-se do irmão do principal suspeito.

De acordo com os meios de comunicação alemães, a busca envolveu polícias vestidos com roupas de proteção devido ao risco biológico.

Segundo o jornal Bild, as autoridades alemãs foram avisadas há dias por um serviço de informação estrangeiro sobre a ameaça de um ataque com uma “bomba química”.

Em 2018, a polícia alemã já tinha detido um tunisiano de 31 anos e a sua mulher, suspeitos de terem preparado aquele que teria sido o primeiro atentado biológico do país.

Com o casal, que havia jurado lealdade ao grupo Estado Islâmico (EI), os investigadores encontraram 84,3 miligramas de ricina e cerca de 3.300 sementes da planta usada para fazer este veneno. Após dois anos, o homem foi julgado e condenado a 10 anos de prisão e a sua mulher a oito anos.

A Alemanha foi alvo nos últimos anos de vários ataques islamitas, incluindo um ataque com um camião a um mercado de Natal em dezembro de 2016, que deixou 13 mortos.

Artigo anteriorSporting procura vencer ‘aflito’ Marítimo para ganhar terreno ao FC Porto
Próximo artigoJoão Ferreira vence etapa no Dakar2023 nos veículos ligeiros protótipos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui