Início Atualidade ‘Bis’ de Paulinho guia Sporting a final da Taça da Liga

‘Bis’ de Paulinho guia Sporting a final da Taça da Liga

33
0
FOTO: Ricardo RAMINHOS / Jornal do Luxemburgo

Um ‘bis’ de Paulinho permitiu ao Sporting vencer o Arouca, por 2-1, no Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, e apurar-se para a final da Taça da Liga de futebol, onde vai tentar revalidar o título.

O Sporting adiantou-se no marcador com um golo de Paulinho, aos 45+7, o Arouca respondeu no segundo tempo com um tento de Oday Dabbagh, aos 58, mas Paulinho voltou a marcar, aos 82, e decidiu o jogo a favor dos ‘leões’.

Nos primeiros minutos, o Sporting, que venceu as duas últimas edições da competição, foi sempre mais ameaçador e conseguiu impor o seu jogo, o que resultou em quatro ocasiões de golo nos primeiros 10 minutos, duas delas com bastante perigo.

Publicidade

Aos sete minutos só o corte de João Basso impediu o golo ‘verde e branco’, após uma boa combinação ofensiva entre Nuno Santos e Paulinho. Já aos 10, Paulinho, novamente, não conseguiu dar o melhor destino a um cruzamento ‘venenoso’ que voltou a envolver o médio ala esquerdo dos ‘leões’.

O ritmo de jogo acalmou, mas aos 19 minutos, o técnico Armando Evangelista teve a primeira contrariedade, quando foi obrigado a substituir o lesionado Weverson Costa, novidade na equipa titular, por Mateus Quaresma.

Do lado do Sporting, Nuno Santos foi sempre um dos mais interventivos, tendo voltado a estar em destaque ao cruzar para o cabeceamento de Paulinho, aos 33 minutos, num lance em que o estreante Thiago Rodrigues teve de se aplicar. Isto já depois de Morita ter visto João Basso ter intercetado um remate com ‘selo’ de golo, num lance em que a bola embateu no braço esquerdo do defesa.

O esquerdino Nuno Santos esteve novamente em ação já perto do intervalo, na cobrança de um livre direto à direita do ataque, que foi de novo travado pelo guarda-redes arouquense.

Mas foi já em cima do apito para o descanso que o jogo animou.

Anthony Alves, na sequência de um contra-ataque, fez um golo de trivela, num lance que dá a ideia de que o extremo pretendia cruzar, mas a bola acaba por passar por cima de Adán. Todavia, e depois de recorrer ao videoárbitro, Fábio Veríssimo acabaria por anular o tento do Arouca pelo facto de João Basso ter tocado com a mão na bola no início da jogada.

Na resposta, acabaria por ser o conjunto comandado por Rúben Amorim a inaugurar o marcador. Aos 45+7 minutos, e no seguimento de um lance estudado, Nuno Santos cruza para a cabeça de Pedro Gonçalves, que amortiza a bola para a entrada de Paulinho, que só teve de encostar.

Na etapa complementar, o Arouca subiu as linhas de pressão e aos 54 minutos esteve perto de conseguir empatar, num lance em que Matheus Reis tenta atrasar a bola para Adán, não se apercebendo da presença de Dabbagh, que esteve próximo de aproveitar a oferta. Valeu a rápida ação do guarda-redes ‘leonino’.

E se à primeira não foi feliz, o mesmo não se pode dizer à segunda, uma vez que dois minutos depois o avançado conseguiu antecipar-se a Adán, após cruzamento de trivela de Alan Ruiz, e igualar.

Aos 67, Ricardo Esgaio obrigou Thiago Rodrigues a uma boa defesa, com a resposta a surgir aos 75, através de Opoku, que rematou rasteiro ao primeiro poste, na sequência de um livre, valendo a atenção de Adán.

Num jogo de parada e resposta, Pedro Porro, que tinha entrado em campo instantes antes, ficou muito perto de recolocar os ‘leões’ em vantagem, o que acabaria por se suceder aos 82, novamente numa jogada que envolveu a dupla Nuno Santos e Paulinho: o médio ala esquerdo cruzou rasteiro e o avançado, oportuno, antecipou-se ao guarda-redes dos forasteiros e repôs a vantagem.

Nos minutos seguintes, a formação de Arouca acercou-se da área contrária, reforçada pelas entradas de jogadores de cariz ofensivo, mas já sem conseguir levar a partida para as grandes penalidades.

Desta forma, o Sporting, que já ergueu o cetro por quatro ocasiões (2017/18, 2018/19, 2020/21 e 2021/22) fica a aguardar o desfecho da segunda meia-final, agendada para as 19:45 de quarta-feira, no mesmo estádio, e que irá colocar frente a frente a formação do FC Porto e do ‘surpreendente’ Académico de Viseu.

Por seu turno, a caminhada do Arouca termina a um passo da grande final, ficando, ainda assim, marcada na história do clube como a edição, em 16 já realizadas, em que conseguiu atingir a fase mais adiantada da competição.

Artigo anteriorFernando Santos quer “deixar um legado” como selecionador da Polónia
Próximo artigoDetido em Espanha suspeito de enviar cartas com explosivos a embaixadas e Sánchez

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui