Início Conflitos Kremlin rejeita retirar-se da guerra para cumprir exigências de Biden

Kremlin rejeita retirar-se da guerra para cumprir exigências de Biden

101
0

A Presidência russa (Kremlin) rejeitou hoje a exigência de se retirar da Ucrânia apresentada pelo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, como condição fundamental para voltar a abrir o diálogo com o homólogo russo, Vladimir Putin.

O Presidente dos Estados Unidos “disse de facto que só seriam possíveis negociações se Putin abandonasse a Ucrânia”, o que Moscovo “obviamente rejeita”, afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, sublinhando que “a operação militar vai continuar”.

Biden disse na quinta-feira que “estava pronto” para falar com Putin se este “encontrasse uma maneira de acabar com a guerra” na Ucrânia e estabeleceu como primeira condição a retirada das tropas russas.

Publicidade

“Se isso acontecer, ficarei feliz em, depois de consultar os meus amigos franceses e a NATO, sentar-me com Putin para ver o que ele tem em mente”, avançou Biden numa conferência de imprensa conjunta em Washington com o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Apesar de rejeitar as condições de Biden, Putin “mantém-se aberto a contactos e a negociações, o que é muito importante”, assegurou hoje o porta-voz do Kremlin.

No entanto, adiantou Peskov, “continua a ser muito difícil encontrar um denominador comum para possíveis negociações”, já que os Estados Unidos não reconhecem a anexação de quatro territórios ucranianos reivindicados por Moscovo em setembro, alertou.

“A forma preferível para alcançar os nossos objetivos é através de meios pacíficos e diplomáticos”, sublinhou ainda o porta-voz russo.

Na quinta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, também garantiu que Moscovo “sempre esteve disponível” para a possibilidade de uma reunião entre os Presidentes russo e norte-americano, mas disse que “ainda não se ouviu nenhuma ideia séria”.

Lavrov adiantou que, num contacto telefónico, o homólogo dos Estados Unidos, Antony Blinken, levantou a questão dos cidadãos norte-americanos presos na Rússia, mas observou que Putin e Biden concordaram em estabelecer um canal separado de comunicação para discutir o assunto quando se encontraram em Genebra, em junho de 2021.

“Está a funcionar e espero que sejam alcançados alguns resultados”, observou Lavrov.

Artigo anteriorHospital de Ponta Delgada assegura que” segurança dos doentes está garantida”
Próximo artigoMundial2022: Portugal perde com Coreia do Sul e Paulo Bento também está nos ‘oitavos’

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui