Início Futebol Taça Portugal Jogadores do Caldas SC acreditam que podem contrariar SL Benfica na Taça...

Jogadores do Caldas SC acreditam que podem contrariar SL Benfica na Taça de Portugal

58
0
FOTO: Ricardo RAMINHOS / Jornal do Luxemburgo

Os jogadores do Caldas SC, equipa da Liga 3 que recebe no sábado o Benfica para a Taça de Portugal em futebol, acreditam em causar surpresa, apesar do favoritismo do adversário.

“É um dos pontos mais altos da história do Caldas SC, e da minha carreira, e acredito que temos uma palavra a dizer na eliminatória”, afirmou o capitão Thomas Militão em declarações à Lusa, acrescentando que vai ser “um jogo muito especial” por se tratar de um dos “grandes clubes portugueses” e por se disputar no Campo da Mata (20:45 de sábado).

O experiente defesa, que apenas representou o Caldas na carreira, destaca que o clube já merecia um “dia destes”, reiterando que na ‘Mata Encantada’ – como é apelidada a ‘casa’ do clube – “tudo pode mesmo acontecer”.

Publicidade

“Costumo dizer que o Campo da Mata está destinado a grandes feitos e acredito que possa ser possível acontecer mais um no próximo sábado”, atirou, recordando o percurso do clube na Taça de Portugal, em 2017/18, e acrescentando que, em conversa com os colegas, pediu que aproveitassem todos os momentos “ao máximo”: no “mar de gente” que deverão ter à sua espera na chegada ao estádio, assim como o apoio “extraordinário” durante e após o jogo.

A motivação para a receção aos ‘encarnados’, refere, já é por si só “mais do que suficiente”, mas o futebolista, de 30 anos, recorda também a caminhada do emblema caldense na Taça de Portugal em 2017/18 – da qual fez parte e que culminou nas meias-finais – para apelar aos colegas de equipa e aos adeptos para que “acreditem” que o clube pode voltar a fazer história na prova ‘rainha’.

“Sabemos das dificuldades e das hipóteses que temos de passar a eliminatória, que são muito curtas, mas não nos vamos acanhar e vamos tentar fazer o nosso jogo, aproveitando o fator casa”, analisou, frisando que “é na ‘Mata Encantada’ que se escrevem as histórias mais bonitas”.

O jogo vai ter um simbolismo também muito especial para o defesa João Silva e para o avançado Marcelo Marquês, únicos jogadores do plantel comandado por José Vala que já alinharam pelo Benfica, ambos nos escalões de escolas e infantis.

Os futebolistas, autores dos golos que permitiram ao Caldas eliminar o Sporting da Covilhã, por 3-0, na fase anterior da competição, também se mostraram confiantes de que o Caldas tem uma “palavra a dizer” na eliminatória.

“A pressão está do lado do Benfica, mas nós também temos as nossas hipóteses”, afiançou Marcelo Marquês, notando que este jogo terá “particular emoção” por ter representado o Benfica durante três anos da sua formação.

Ainda assim, evidencia, o foco está em ajudar o segundo classificado da Série B do terceiro escalão, a conseguir uma boa exibição diante do Benfica, e, “se possível”, com golos.

“Caso aconteça não será o Marcelo Marquês ou qualquer outro jogador a marcar, será sim uma cidade inteira”, sublinha o jovem avançado, de 24 anos, afirmando que, se for um dos escolhidos para entrar em campo, tudo fará para “aproveitar as oportunidades que tiver”.

A atravessar um início de temporada em grande plano, também João Silva acredita que o Caldas pode “fazer nova gracinha” na competição.

O defesa, de 24 anos, aponta o “fator casa” como um dos “ingredientes” que pode levar a equipa à vitória, destacando a “qualidade do plantel” para tentar contrariar o “favoritismo” ‘encarnado’.

O jogador, que passou pela formação do Benfica, considera que será “o jogo de uma vida” e diz que sente já algum “nervosismo” para o embate de sábado, que será ainda mais especial por já ter jogado de ‘águia ao peito’.

No entanto, João Silva coloca a pressão do lado do conjunto orientado por Roger Schmidt.

“Enquanto houver esperança vamos lutar com todas as nossas armas para discutir a eliminatória”, sublinhou, reiterando que tudo vão fazer para “honrar e dignificar a história do Caldas”.

O último compromisso oficial do Benfica no Campo da Mata foi há 61 anos, quando as ‘águias’ venceram o Caldas, por 5-3, em 26 de novembro de 1961, na primeira mão da primeira eliminatória da Taça de Portugal.

A única vitória do Caldas sobre o Benfica, contudo, data de 12 de janeiro de 1958, tendo os caldenses, liderados pelo técnico húngaro János Hrotkó, vencido por 3-2, com golos de João Resende, Janita e beneficiando ainda de um autogolo do guarda-redes ‘encarnado’ José Bastos.

A ‘Mata Encantada’ – como lhe chamam jogadores, dirigentes e adeptos caldenses – é, segundo os mesmos, o local onde “todos os sonhos podem tornar-se realidade” e onde se acredita em novo triunfo histórico.

Artigo anteriorMinistério Público abre inquérito à morte do bebé atacado por um cão em Alenquer
Próximo artigoLuxemburgo: Controlos de velocidades (13 outubro)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui