Início Sci-Tech Tecnologias de Informação Novo centro convida a experiência imersiva na história de Faro e da...

Novo centro convida a experiência imersiva na história de Faro e da Ria Formosa

91
0
Apresentação multimédia no centro de conhecimento "Faro Story Spot", inaugurado no verão e que oferece aos visitantes uma experiência imersiva, situado junto à Sé Catedral de Faro, em Faro, 23 de setembro de 2022. O "Faro Story Spot" é uma experiência multimédia que conta a história da cidade de Faro, Ria Formosa e Dieta Mediterrânica. (ACOMPANHA TEXTO DA LUSA DO DIA 26 DE SETEMBRO DE 2022). LUÍS FORRA/LUSA

Um novo centro de conhecimento multimédia na zona histórica de Faro está a convidar os visitantes a mergulhar numa experiência imersiva na história da cidade e da Ria Formosa, desvendando também os segredos da dieta mediterrânica.

Inaugurado no verão, o Faro Story Spot não só conta a história da capital algarvia, recuando ao tempo do Império Romano e ‘viajando’ até aos dias de hoje, como dá a conhecer a biodiversidade da Ria Formosa e, no final, ainda senta os visitantes à mesa de uma típica taberna.

A casa do século XVIII onde se encontra o centro, no Largo da Sé, em plena zona histórica, a poucos metros da ria, era provavelmente uma venda ou taberna, conhecida como Taberna da Pepa, onde pescadores e mariscadores vendiam os seus produtos e conviviam na volta da faina.

Publicidade

Com uma localização privilegiada, o espaço surgiu depois de ter sido identificada por vários agentes locais a necessidade de alargar a oferta turística na cidade, muito vocacionada para a praia e os passeios de barco na Ria Formosa.

“Fizemos sessões de cocriação com a Universidade do Algarve, agentes culturais, empresas de turismo, entre outros, e a maioria sugeriu criar algo que aliasse a animação turística à vertente cultural”, disse à Lusa o diretor da empresa promotora do espaço, João Amaro.

Segundo o responsável, depois de visitas a vários espaços, chegou-se ao conceito do Faro Story Spot, um centro multimédia que apresenta “de forma divertida e leve” a história da cidade, da ria que a circunda e também da dieta mediterrânica.

Apesar de o projeto ter começado a ser delineado em 2018, alguns contratempos na obra, para além da pandemia de covid-19, atrasaram a sua execução, tendo apenas sido possível inaugurar o espaço durante este verão, explicou.

À chegada, os visitantes são recebidos pelo Zé do Mar, que desfia momentos marcantes da cidade, passando pela presença dos romanos, muçulmanos e, mais tarde, dos judeus, que instalaram em Faro a primeira oficina tipográfica portuguesa e aí fizeram a primeira impressão de um livro no país, o “Pentateuco”.

A elevação de Faro a cidade, em 1540, o ataque das tropas inglesas, em 1596 – que saquearam a cidade e levaram consigo o único exemplar conhecido do “Pentateuco”, atualmente em exposição na British Library, em Londres, no Reino Unido –, assim como a destruição causada pelo terramoto de 1755 são outras das estórias relatadas.

Os visitantes são depois convidados a seguir para a próxima sala, onde o cavalo-marinho animado Marino fala sobre as características e origem da Ria Formosa, assim como da sua fauna e flora e dos produtos e negócios que gera.

Além de a ria já ter albergado a maior comunidade de cavalos-marinhos do mundo, que atualmente se encontra em declínio, havendo projetos para a sua preservação, ainda possui a única comunidade residente em Portugal de camaleões, uma espécie igualmente ameaçada e alvo de proteção.

A última sala recria uma taberna, convidando as pessoas a sentarem-se à mesa para saber mais sobre a dieta mediterrânica, pois apesar de Portugal não ser banhado pelo Mediterrâneo tem na sua gastronomia e hábitos a marca deste antigo modo de vida.

As paredes da ‘taberna’ estão revestidas a cobre, azulejo, cortiça e palhinha, entre outros materiais típicos da região, nos quais os visitantes são convidados a tocar.

Após completar a visita, que dura cerca de 35 minutos – podendo entrar oito pessoas a cada meia hora -, é possível usufruir de uma degustação de pão, azeite e vinho.

O preço dos bilhetes para o público em geral (adultos) oscila entre os 16 euros (apenas a visita), os 23 euros (visita e degustação) e os 30 euros (visita e ‘brunch’).Existem preços especiais para crianças, famílias, estudantes e residentes.

O investimento total rondou os 650 mil euros, tendo o projeto sido financiado em cerca de 150 mil euros por fundos comunitários concedidos ao abrigo do Programa Operacional Mar 2020.

Artigo anteriorItália/Eleições: Meloni diz que vai “governar para todos”
Próximo artigoEngenharia Mecânica da Universidade de Coimbra assinala 50 anos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui