Início Incêndios Mais de 1.500 operacionais para evitar reativações na serra da Estrela e...

Mais de 1.500 operacionais para evitar reativações na serra da Estrela e Caldas da Rainha

61
0
Foto: Marta Araújo

Mais de 1.500 operacionais e cinco meios aéreos continuam em operações nos incêndios da serra da Estrela e das Caldas da Rainha (na foto), atualmente em resolução, para evitarem reativações, disse hoje a Proteção Civil.

Segundo o comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), André Fernandes, os dois incêndios mais preocupantes estão em resolução, mas nos locais mantêm-se dispositivos para evitar reativações, principalmente tendo em conta que as previsões meteorológicas para os próximos dias apontam para um aumento das temperaturas e baixa humidade.

Segundo o responsável, que falava na sede nacional da ANEPC, em Carnaxide, no concelho de Oeiras (Lisboa), nos últimos quatro dias registaram-se 218 ocorrências de incêndios, das quais 50 na quarta-feira.

Publicidade

O incêndio que lavra na serra da Estrela há 11 dias foi dado como dominado pelas 21:30 de quarta-feira e às 12:00 de hoje permanecia em fase de resolução.

Este fogo deflagrou no dia 06 de agosto em Garrocho, no concelho da Covilhã, no distrito de Castelo Branco, tendo chegado a ser dado como dominado no sábado, dia 13. Contudo, na segunda-feira, sofreu uma reativação.

O fogo consumiu parte substancial do Parque Natural da Serra da Estrela, uma área natural protegida e classificada pela UNESCO.

De acordo com a ANEPC, cerca das 12:00 de hoje encontravam-se ainda no local 1.090 operacionais, apoiados por cerca de 350 viaturas.

O incêndio nas Caldas da Rainha foi dado como dominado hoje às 04:25 e às 12:00 continuava em resolução.

Este fogo deflagrou às 13:45 de quarta-feira em Casais dos Rostos/Landal, nas Caldas da Rainha, distrito de Leiria, e alastrou ao concelho de Rio Maior, no distrito de Santarém.

Às 12:00, mantinham-se no local mais de 400 operacionais, apoiados por 166 viaturas, e três meios aéreos, segundo o ‘site’ da ANEPC.

No combate às chamas, durante a tarde de quarta-feira, registou-se a morte de um bombeiro, da corporação de Óbidos, por “doença súbita”.

Artigo anteriorVitinha renova com Sporting de Braga até 2027
Próximo artigoMais de 20 praias já estiveram interditas ou com banho desaconselhado nesta época balnear – Zero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui