Início Turismo Quer visitar Portugal? Estes são os vistos que pode pedir

Quer visitar Portugal? Estes são os vistos que pode pedir

203
0

Em alguns casos, a entrada em Portugal não implica a apresentação de visto, mas dependendo do país em que se encontra, a apresentação do visto pode ser obrigatória.

O pedido de visto é simples, basta que se dirija à embaixada ou ao consulado (também pode fazer a marcação de visto online) e peça o tipo de visto que se adequa às suas necessidades. E se não sabe que tipo de visto precisa para começar a sua aventura em Portugal, seguem-se as opções disponíveis.

Os 8 vistos que pode pedir na sua visita a Portugal

1. e-Visa

O e-Visa ou visto eletrónico é uma alternativa aos vistos tradicionais e que vai poupar-lhe muito tempo no processo de emissão. Este é solicitado online e vinculado ao seu passaporte quando aceite.

Publicidade

E se quiser que o pedido do visto online fique ainda mais fácil, faça o pedido com o iVisa. Esta entidade irá receber as informações necessárias à emissão do visto e tratar de tudo por si. Quando os documentos forem emitidos, irá recebê-los no e-mail ou na morada indicada: a escolha é sua.

2. Visto de Turista

Os vistos de turista permitem-lhe estar no país de destino por 90 dias, no máximo, e podem incluir várias viagens nesse espaço de tempo. Este visto pode ser pedido para fins turísticos ou para alguns tipos de trabalhos de curta duração.

O seu pedido só será aceite se cumprir uma série de condições, incluindo não ter sido sujeito a medidas de afastamento do país, ter os meios necessários para se manter em Portugal, entre outros.

3. Visto D7

O visto D7 também é conhecido como o visto de rendimento ou aposentado e é a escolha acertada para quem está aposentado ou tenha algum tipo de rendimento no país de origem, incluindo imóveis, aplicações financeiras ou outros.

Este visto só será aceite se tiver rendimentos que lhe permitam viver em Portugal por um período superior a 12 meses. E qual o rendimento mínimo necessário? Depende de diversos fatores, como o número de pessoas que constituem o agregado familiar, por exemplo.

4. Visto de trabalho subordinado ou independente

Este visto de trabalho é emitido a pessoas que tenham um contrato de trabalho com empresas portuguesas ou que queiram trabalhar de forma independente no país.

Claro que este visto não é fácil de obter, principalmente para quem trabalha de forma independente. Para ser aprovado, a pessoa terá de provar que tem rendimentos suficientes para se manter em Portugal.

5. Visto D3

O visto D3 também é conhecido como visto de trabalho altamente qualificado e, como o próprio nome indica, permite que os trabalhadores que exerçam atividades altamente qualificadas possam ter residência em Portugal.

Quem quiser obter este visto terá de ter sido aceite como estudante em doutoramento, investigador (com algumas condições associadas) ou se tiver intenções de trabalhar como docente no ensino superior.

6. Visto D2

O visto D2 ou visto para empreendedores pode ser solicitado por pessoas que tenham investido em Portugal ou que tenham os meios necessários para fazer esse investimento em território português num futuro próximo.

Entre em contacto com as entidades competentes para saber se está em condições de dar início ao pedido deste visto.

7. Visto de Estudantes

O visto de estudante não precisa de apresentações, não é verdade? Para obter este visto precisa de um documento que comprove que foi aceite numa instituição de ensino em Portugal.

O tempo de estadia associado a estes vistos varia muito, podendo ser de menos de um ano ou do tempo de licenciatura. No primeiro caso, terá de pedir um visto temporário, já no segundo, terá de pedir um visto de residência.

Tal como acontece nos restantes vistos, terá de provar que tem os meios necessários para se manter financeiramente no país.

8. Reagrupamento familiar

E, por último, o visto de reagrupamento familiar. Existem várias condições que têm de ser cumpridas, dependendo do familiar que pretende pedir o visto.

Mas para que tenha uma ideia, o marido/mulher, os filhos menores (seja, ou não, casado), filhos maiores em determinadas condições, ascendentes na linha reta e em 1º grau ou os irmãos menores podem pedir o visto de reagrupamento familiar.

Já nos casos em que o casal se encontra em união de facto, a união tem de ser comprovada para que o visto possa ser solicitado.

Agora que conhece os tipos de visto para entrar em Portugal, chegou o momento de dar início ao processo. Faça a marcação de visto online e prepare-se para a sua nova aventura.

Artigo anteriorFogo lavra no parque da Peneda Gerês em direção a aldeias de Ponte da Barca
Próximo artigoFrancisco Trincão assina pelo Sporting

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui