Início Conflitos Dezenas de milhares de manifestantes na Geórgia para pedir adesão à UE

Dezenas de milhares de manifestantes na Geórgia para pedir adesão à UE

48
0

Dezenas de milhares de manifestantes desfilaram hoje em Tbilissi, capital da Geórgia, para pedir a adesão à União Europeia (UE) desta ex-república soviética do Cáucaso.

Os manifestantes, cerca de 60.000 segundo a agência noticiosa AFP, agitaram bandeiras da Geórgia e da UE, alguns dias após a recomendação da Comissão Europeia de aguardar por nova ocasião antes de conceder o estatuto de candidato à adesão.

Diversas organizações pró-europeias e o conjunto das formações da oposição apelaram a uma “marcha pela Europa” na noite de hoje em Tbilissi, para “provar o compromisso do povo georgiano na sua escolha europeia e com os valores ocidentais”.  

Publicidade

“A Europa é uma escolha e uma aspiração históricas para os georgianos, para todas as gerações que fizeram sacrifícios”, declararam os organizadores em comunicado.

“A liberdade, a paz, o desenvolvimento económico sustentável, a proteção dos direitos humanos e a justiça são valores que nos unem a todos e que serão garantias para uma integração na União Europeia”, acrescentaram.

Esta concentração destinou-se a enviar um sinal a Bruxelas, quando os dirigentes europeus se preparam para discutir nesta semana a eventual concessão de um estatuto de candidato oficial à Geórgia, uma decisão que deverá abranger a Ucrânia e Moldova.

Caso a Comissão Europeia emita um parecer positivo relacionado com a Ucrânia e Moldova, em Bruxelas admite-se que na próxima sexta-feira seja pedido à Geórgia que proceda a reformas, em particular políticas, antes de poder pretender esse estatuto.

O Executivo europeu recomendou que seja concedida à Geórgia “uma perspetiva de se tornar membro da União Europeia”, uma situação que não possui valor jurídico.

“Cabe à Geórgia acelerar [as reformas] e avançar para esta porta aberta”, comentou a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen.

O Partido do Sonho Georgiano, no poder em Tbilissi, manifestou-se “feliz” por possuir “um roteiro concreto”, mas considerou “lamentável” que a Comissão não tenha apoiado o estatuto de candidato no imediato.

Nos últimos anos, o Governo georgiano tem sido crescentemente criticado devido à situação dos direitos humanos, com diversas organizações não governamentais (ONG) a manifestarem inquietações, em particular sobre o recuo da liberdade de expressão.

Artigo anteriorBenfica vende Everton ao Flamengo por 13,5 milhões de euros
Próximo artigoDavid Neres espera uma adaptação fácil ao Benfica

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui