Início Culturas Museus Conimbriga realça dimensão afetiva e geracional no Dia Internacional dos Museus

Conimbriga realça dimensão afetiva e geracional no Dia Internacional dos Museus

98
0

O Museu Monográfico de Conimbriga (MMC), em Condeixa-a-Nova, vai comemorar na quarta-feira o Dia Internacional dos Museus com um programa que valoriza a “dimensão afetiva” da antiga cidade romana.

“O objetivo é celebramos esta dimensão afetiva e geracional, a pegada emocional que o sítio tem”, disse hoje o diretor do Museu Nacional, Vítor Dias, à agência Lusa.

Tirando partido do tema adotado este ano para a efeméride — “O poder dos museus” — Conimbriga assinala o Dia dos Museus com iniciativas que visam o “reconhecimento do património arqueológico ao longo da sua existência”, além do próprio Museu Monográfico.

Publicidade

Fundado há 60 anos, o MMC, no distrito de Coimbra, “lança o desafio digital de partilha nas redes sociais de experiências e memórias, através de imagens antigas ou menos antigas”, das visitas individuais e de grupo ao museu e ruínas, com recurso ao ‘hashtag’ #Conimbriga60AnosMuseu.

“Com este formato, pretende-se ao longo de 2022 comemorar e partilhar a dimensão afetiva, geracional e nacional que o espaço museológico da antiga cidade de Conimbriga proporciona”, afirma em comunicado a entidade dirigida pelo arqueólogo Vítor Dias.

Este desafio, que será lançado às 11:30, envolve como embaixadores o cantor André Sardet, o mágico Luís de Matos, o autarca Nuno Moita (presidente da Câmara Municipal de Condeixa) e o próprio diretor do museu.

Uma hora antes, às 10:30, as comemorações incluem as oficinas de pesquisa artística “Ausente presente”, “Das plantas pioneiras à floresta”, “O pão e a cultura do pão ao longo dos tempos” e “Linha no espaço, linha no papel”, dinamizadas nos espaços envolventes pelos artistas Marta Sampaio Soares, João Oliveira, Carlos Baptista Silva e Patrícia Timóteo.

“Queremos destacar a importância que o sítio tem como local interdisciplinar”, promovendo um “diálogo que é possível e até recomendável” entre a arte e a ciência, para que este lugar histórico “volte a ser fruído” pelas pessoas, explicou Vítor Dias.

Às 12:00, no auditório do MMC, o encerramento das comemorações coincide com o momento “Conimbriga Digital”, que inclui a apresentação do “Catálogo das Coleções” e o início da sua promoção digital, enquanto “auxílio a visitas livres”, passando os visitantes a dispor do “Catálogo” e do “Guia das Ruínas” em formato de QRcodes.

A participação nas celebrações é gratuita e não carece de inscrição prévia.

Artigo anteriorMcDonald’s vai abandonar mercado russo
Próximo artigoAdepto impedido de entrar em recintos desportivos responde por desobediência

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui