Início Política Legislativas Legislativas: Rio acusa António Costa de elevar cada vez mais o tom...

Legislativas: Rio acusa António Costa de elevar cada vez mais o tom contra o PSD

151
0
O presidente do PSD, Rui Rio, durante um contacto com a população de Coimbra, 21 de janeiro de 2022. Mais de 10 milhões de eleitores residentes em Portugal e no estrangeiro constam dos cadernos eleitorais para a escolha dos 230 deputados à Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

O presidente do PSD, Rui Rio, acusou hoje António Costa de elevar mais o tom contra o PSD, a cada dia que passa de campanha, e de “deturpar mais” as propostas sociais-democratas.

Em Coimbra, no arranque de mais um “Conversas Centrais”, sessões temáticas que, na campanha social-democrata substitui os tradicionais comícios, Rui Rio afirmou que António Costa, a cada dia que passa, “eleva mais o tom contra o PSD e procura deturpar mais as propostas do PSD”.

“Ontem inclusive ele chegou ao máximo, chegou a uma sala, meteu lá uns, penso eu, uns intelectuais, e dali saiu logo uma mensagem é que eu sou um pequeno nazi. Pronto, é assim que provavelmente querem ganhar as eleições, é colocar essa pseudo intelectualidade a dizer que o adversário é um pequeno nazi, um nazizito, ou assim uma coisa”, referiu, voltando a um tema que já tinha comentado esta manhã.

Publicidade

Personalidades culturais e desportivas criticaram hoje o desempenho do líder social-democrata, Rui Rio, enquanto presidente da Câmara Municipal do Porto, com Valter Hugo Mãe a acusá-lo de ter “trucidado a cultura” e Rosa Mota a apelidá-lo de “nazizinho”.

Esta posição foi transmitida durante uma ação de campanha do secretário-geral do PS, António Costa, que discutiu com 15 personalidades independentes – que afirmaram todas que vão votar no secretário-geral do PS – temas como a cultura, o desporto, a investigação ou o ensino superior.

“Portanto, com este nível de elevação eu penso que não vamos muito longe, vamos muito mais longe com estas intervenções e esta conversa e, por isso, vão continuar a chamar o que entenderem, como eu tenho dito, fica a falar sozinho, porque não vejo outra alternativa que não seja deixá-lo a falar sozinho”.

Rio disse anda que se “realmente reconhecesse que dentro daquela sala estava a intelectualidade” até “podia mover um processo por difamação”.

“Mas depois também o advogado do outro lado podia dizer assim – intelectuais aonde? De onde vem a intelectualidade, vem no jornal, mas não quer dizer que seja e realmente aí era uma defesa interessante porque não é intelectual quem diz coisas destas”, ironizou.

Hoje a iniciativa “Conversas Centrais” foi sobre ambiente, contou com a participação de Salvador Malheiro, presidente da Câmara de Ovar e coordenador do Conselho Estratégico Nacional do PSD para o Ambiente e Energia, e foi moderado por Mónica Quintela, advogada, deputada e cabeça de lista do PSD por Coimbra.

Rio sublinhou que o PSD olha para “questões do ambiente com o respeito necessário e, nesta temática o presidente do PSD apontou duas “novas medidas” do programa do PSD que disse serem “relevantes e inovadoras” para “ajudar a fazer o caminho da descarbonização e da economia circular”, designadamente a colocação no código da contratação publica a questão ambiental e os planos municipais de descarbonização.

Artigo anteriorLegislativas: Costa diz que compromissos assumidos por Rui Rio “está quieto”
Próximo artigoBenfica vence em Arouca e reforça terceiro lugar da I Liga

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui