Início Comunidades Secretária de Estado das Comunidades rejeita rutura de consulados na Alemanha

Secretária de Estado das Comunidades rejeita rutura de consulados na Alemanha

84
0

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, que terminou hoje uma visita de quatro dias à Alemanha, rejeitou que os consulados portugueses no país estejam “à beira da rutura”, sublinhando o “investimento na rede”.

A governante esclareceu que já foi aberto um novo concurso que prevê a entrada de três novos funcionários que resultam do processo regular de recrutamento anual, que tem como objetivo o reforço da rede externa do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Na sexta-feira, em declarações à Lusa, os conselheiros das comunidades portuguesas na Alemanha manifestaram a sua preocupação com a falta de funcionários e de material técnico que dizem não ser renovado. A secretária de Estado reconhece que há algumas queixas, mas rejeita falta de investimento.

Publicidade

“Nós estamos a investir na rede, em pessoas, em meios técnicos e informáticos, e estamos também a tomar outra série de medidas importantes para as pessoas, que é tentar que elas não tenham de vir aos consulados e possam fazer alguns atos totalmente ‘online’”, revelou Berta Nunes à Lusa.

“Há alguns problemas que resultam do impacto da covid, e principalmente da necessidade de agendamento prévio para os atendimentos, consequência da pandemia e das pessoas não conseguirem ir ao consulado espontaneamente, sem marcação”, admitiu.

A secretária de Estado esclareceu que, já este ano, entraram três novos funcionários para os consulados de Dusseldorf, Hamburgo e Estugarda, integrando um “esforço que tem vindo a ser feito todos os anos”.

“Tem entrado sempre mais gente do que tem saído. Ou seja, há agora mais 141 funcionários que em 2016”, apontou.

Os conselheiros das comunidades queixam-se de tempos de espera, para tratar de documentos, por exemplo, que podem chegar a três meses, mas Berta Nunes não tem dúvidas de que a rede consular na Alemanha funciona bem.

“Quando dizem que tem um tempo de espera de três meses, numa situação em que ainda temos os consulados a trabalhar com algumas restrições, e alguns parados (…) não me parece exagerado, desde que a pessoa possa esperar esse tempo”, salientou, lembrando que existem as vagas de urgência, quando necessário.

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas reconhece que ainda há pontos a melhorar, como a resposta telefónica em alguns postos, e não descarta um “regime mais híbrido” com vagas de atendimento para o próprio dia.

“É preciso, da nossa parte, um esforço de informação, e da parte dos utentes, um esforço de adaptação”, realçou.

Berta Nunes terminou hoje uma visita à Alemanha que começou na sexta-feira em Berlim, e que passou também por Paderborn e Dusseldorf. A secretária de Estado das Comunidades mostrou-se satisfeita com os resultados, prometendo uma nova passagem pelo país caso continue em funções.

Artigo anteriorPCP “sempre” disponível para convergências para resolver problemas do país
Próximo artigoJoão Sousa recupera estatuto de número um português no ‘ranking’ ATP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here