Início Economia Negócios Ryanair instala base na Madeira e disponibiliza 350 mil lugares para 10...

Ryanair instala base na Madeira e disponibiliza 350 mil lugares para 10 destinos

309
0
O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira (9-D), acompanhado pelo presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque (8-D), pelo presidente Executivo da Ryanair, Eddie Wilson (7-D), e pelo presidente da comissão executiva da ANA Aeroportos de Portugal, Thierry Ligonnière (6-D), durante a conferência de imprensa "Desenvolvimento de rotas no Aeroporto da Madeira", no Aeroporto Internacional da Madeira, em Santa Cruz, ilha da Madeira, 23 de novembro de 2021. HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

A companhia aérea irlandesa de baixo custo Ryanair vai disponibilizar 350 mil lugares em 10 rotas com ligação à Região Autónoma da Madeira em 2022, entre as quais Lisboa e Porto, indicou hoje a empresa.

O anúncio foi feito na conferência de apresentação da nova base da companhia, no Aeroporto da Madeira, a quinta no país, que contou com a presença do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira.

Além de Lisboa e Porto, a Ryanair vai efetuar voos semanais para Bruxelas (Bélgica), Dublin (Irlanda), Londres e Manchester (Inglaterra), Marselha (França), Milão (Itália), Nuremberga (Alemanha) e Paris (França).

Publicidade

No total, serão disponibilizados mais 350 mil lugares por ano, o que significa um aumento de 22% do transporte de passageiros na região autónoma.

No verão, a Ryanair vai efetuar 21 ligações semanais com Lisboa e Porto (120 mil lugares) e no inverno 12 (41 mil lugares).

A nível das rotas internacionais, a companhia irlandesa estipulou um total de 21 frequências semanais no verão (120 mil lugares) e 18 no inverno (66 mil lugares).

O ministro da Economia destacou o reforço das ligações aéreas na Madeira com a entrada da Ryanair, indicando que o projeto estava em curso há “bastante tempo” e representa um “investimento significativo” do Governo para assegurar a “melhoria da conectividade aérea e da acessibilidade” ao arquipélago.

“Entre 2015 e 2019 foram abertas mais de 500 rotas e operações aéreas [ao nível nacional] graças a investimentos importantes que o Governo de Portugal foi tendo e relações cada vez mais próximas estabelecidas entre companhias aéreas de todo o mundo”, disse.

Siza Vieira indicou que 95% das pessoas que visitam o país e 95% dos cidadãos portugueses que entram e saem do território fazem-no por via aérea, sublinhando que a conectividade aérea é uma “condição fundamental” de competitividade de Portugal.

Artigo anteriorCovid-19: Von der Leyen insiste na eficácia das vacinas e dá exemplo de Portugal
Próximo artigoIsrael começou a vacinar crianças dos 5 aos 11 anos contra a covid-19

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here