Início Saúde Moçambique/Covid-19: Ministro da Saúde foi primeiro a ser vacinado

Moçambique/Covid-19: Ministro da Saúde foi primeiro a ser vacinado

423
0

O ministro da Saúde foi hoje o primeiro moçambicano a ser vacinado no país contra a covid-19, no âmbito da campanha que hoje arrancou em todo território.

“A vacina que estamos a administrar hoje é eficaz em 79,3 % para evitar que uma pessoa com a infeção desenvolva sintomas leves e, para outro caso, em que a pessoa já tenha sintomas leves, ela é em 100% eficaz para evitar sintomas graves”, disse à Lusa Armindo Tiago, momentos após ser vacinado no Hospital Central de Maputo, numa cerimónia simbólica que marca o arranca da campanha.

Trata-se da vacina Verocell, fabricada pela farmacêutica chinesa Sinopharm, e que resulta de uma doação do Governo de Pequim para Moçambique no âmbito da cooperação entre os dois Estados.

Publicidade

O plano de vacinação lançado hoje está estimado em quase dois mil milhões de meticais (23 milhões de euros) e vai dar prioridade aos profissionais que estão na linha da frente do combate à epidemia.

Além dos profissionais de saúde, o executivo moçambicano quer abranger na primeira fase de vacinação idosos que vivem em lares e trabalhadores destes espaços, bem como as Forças de Defesa e Segurança e pacientes com diabetes.

Moçambique quer vacinar 16 milhões de pessoas (toda a população adulta) contra a covid-19 até ao final do primeiro trimestre de 2022, no cenário mais otimista.

Além da vacina oriunda da China, o país também recebeu hoje um total de 484.000 lotes, dos quais 384.000 são doadas no âmbito da iniciativa Covax e 100.000 são oferecidas pela Índia.

“O Governo moçambicano é responsável por garantir a saúde do seu povo e é nesta perspetiva que o executivo está a utilizar todos os meios possíveis para controlar a pandemia da covid-19. Esforços estão a ser feitos para garantir que todos aqueles que sejam elegíveis sejam vacinados”, acrescentou o ministro da Saúde.

Moçambique tem um total acumulado de 693 mortes e 62.520 casos, dos quais 74% recuperados e 160 internados (a maioria em Maputo).

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.588.597 mortos no mundo, resultantes de mais de 116,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Artigo anteriorSporting contesta acusação de fraude na inscrição de Rúben Amorim
Próximo artigoCovid-19: Portugal regista mais 365 casos confirmados e 25 óbitos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui