Início Economia Negócios Covid-19: Fumeiro de Vinhais ultrapassou 1.500 encomendas nas vendas ‘online’

Covid-19: Fumeiro de Vinhais ultrapassou 1.500 encomendas nas vendas ‘online’

194
0

As vendas online do fumeiro de Vinhais ultrapassaram as 1.500 encomendas, com a plataforma digital criada para substituir a tradicional feira, devido à pandemia de covid-19, a superar as expectativas, segundo divulgou hoje a Câmara Municipal.

O município transmontano foi o promotor da iniciativa e fez hoje o balanço em que destaca que, embora nem todos os produtores que costumavam participar na feira do fumeiro presencial tenham aderido à venda ‘online’, “é sabido que venderam todos os produtos que confecionaram”.

A autarquia concluiu que, apesar das restrições sanitárias, que impediram a realização da feira anual com 40 anos, “o volume de vendas do fumeiro de Vinhais vai muito além das vendas ‘online’”.

Publicidade

Para substituir o tradicional certame que chamava à vila do distrito de Bragança dezenas de milhares de pessoas, a Câmara e a Associação Nacional de Criadores de Suínos de Raça Bísara (ANCSUB) criaram uma plataforma digital dedicada aos enchidos tradicionais, na qual realizou, entre 11 e 14 de fevereiro alguns eventos habituais, como conferências e concursos, e onde os produtores puderam vender durante todo o mês de fevereiro.

Concluído o período das vendas, a autarquia salienta que “o balanço é muito positivo, chegando até a superar as expectativas mais altas, tendo em conta que tudo isto foi algo completamente novo e exigiu muita disponibilidade dos produtores, que se mostraram desde o início dispostos a fazer deste evento mais um sucesso”.

“Foram mais de 1.500 encomendas, toneladas de fumeiro vendido, sendo que muitos dos produtores chegaram mesmo a esgotar o fumeiro que tinham disponível”, refere, em comunicado.

Vinhais tem no fumeiro uma fileira económica que vai das explorações de porco bísaro, a raça que distingue os enchidos, às cozinhas regionais e unidades industriais de produção.

Nesta fileira à base do porco Bísaro, uma raça autóctone também ela protegida, Vinhais tem sete produtos tradicionais reconhecidos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), nomeadamente o salpicão, a chouriça de carne, a alheira, o butelo, a chouriça doce e o chouriço azedo e o presunto.

Apesar de mesmo com as restrições da pandemia, o escoamento destes produtos estar assegurado, o presidente da Câmara, Luís Fernandes, já tinha admitido que o cancelamento da feira anual implicou perdas de “centenas de milhares de euros” para a economia do concelho e da região.

Em causa está toda a atividade gerada em torno do evento que é a mais antiga feira gastronómica da região e se realizava ininterruptamente há 40 anos.

Por esta feira têm passado dezenas de milhares de visitantes portugueses e da vizinha Espanha à procura do fumeiro, com uma fileira que movimenta anualmente cerca de 10 milhões de euros neste concelho transmontano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.