Início Economia Negócios Covid-19: Fumeiro de Vinhais ultrapassou 1.500 encomendas nas vendas ‘online’

Covid-19: Fumeiro de Vinhais ultrapassou 1.500 encomendas nas vendas ‘online’

380
0

As vendas online do fumeiro de Vinhais ultrapassaram as 1.500 encomendas, com a plataforma digital criada para substituir a tradicional feira, devido à pandemia de covid-19, a superar as expectativas, segundo divulgou hoje a Câmara Municipal.

O município transmontano foi o promotor da iniciativa e fez hoje o balanço em que destaca que, embora nem todos os produtores que costumavam participar na feira do fumeiro presencial tenham aderido à venda ‘online’, “é sabido que venderam todos os produtos que confecionaram”.

A autarquia concluiu que, apesar das restrições sanitárias, que impediram a realização da feira anual com 40 anos, “o volume de vendas do fumeiro de Vinhais vai muito além das vendas ‘online’”.

Publicidade

Para substituir o tradicional certame que chamava à vila do distrito de Bragança dezenas de milhares de pessoas, a Câmara e a Associação Nacional de Criadores de Suínos de Raça Bísara (ANCSUB) criaram uma plataforma digital dedicada aos enchidos tradicionais, na qual realizou, entre 11 e 14 de fevereiro alguns eventos habituais, como conferências e concursos, e onde os produtores puderam vender durante todo o mês de fevereiro.

Concluído o período das vendas, a autarquia salienta que “o balanço é muito positivo, chegando até a superar as expectativas mais altas, tendo em conta que tudo isto foi algo completamente novo e exigiu muita disponibilidade dos produtores, que se mostraram desde o início dispostos a fazer deste evento mais um sucesso”.

“Foram mais de 1.500 encomendas, toneladas de fumeiro vendido, sendo que muitos dos produtores chegaram mesmo a esgotar o fumeiro que tinham disponível”, refere, em comunicado.

Vinhais tem no fumeiro uma fileira económica que vai das explorações de porco bísaro, a raça que distingue os enchidos, às cozinhas regionais e unidades industriais de produção.

Nesta fileira à base do porco Bísaro, uma raça autóctone também ela protegida, Vinhais tem sete produtos tradicionais reconhecidos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), nomeadamente o salpicão, a chouriça de carne, a alheira, o butelo, a chouriça doce e o chouriço azedo e o presunto.

Apesar de mesmo com as restrições da pandemia, o escoamento destes produtos estar assegurado, o presidente da Câmara, Luís Fernandes, já tinha admitido que o cancelamento da feira anual implicou perdas de “centenas de milhares de euros” para a economia do concelho e da região.

Em causa está toda a atividade gerada em torno do evento que é a mais antiga feira gastronómica da região e se realizava ininterruptamente há 40 anos.

Por esta feira têm passado dezenas de milhares de visitantes portugueses e da vizinha Espanha à procura do fumeiro, com uma fileira que movimenta anualmente cerca de 10 milhões de euros neste concelho transmontano.

Artigo anteriorCovid-19: Inutilização de 78 doses de vacinas no Hospital das Caldas da Rainha sob investigação
Próximo artigoLiga Portuguesa: SL Benfica vence Rio Ave com golos de Seferovic e Pizzi

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui