Início Saúde Covid-19: Enfermeira foi a primeira a ser vacinada em Cabo Verde

Covid-19: Enfermeira foi a primeira a ser vacinada em Cabo Verde

313
0
Uma profissional de saúde administra a vacina da Pfizer a covid-19 a um dos seis profissionais de saúde da Praia, antecedendo o início da campanha de vacinação em Cabo Verde, sexta-feira, precisamente um ano depois da chegada da pandemia ao arquipélago, no Centro de Saúde da Achada de Santo António, na Praia, Cabo Verde, 18 de março de 2021. FERNANDO DE PINA/LUSA

A enfermeira Helga Badiane, 63 anos, tornou-se hoje a primeira pessoa vacinada contra a covid-19 em Cabo Verde, exclamando, logo depois de inoculada, num centro de saúde da Praia, que “vacina é vida”.

“Já estamos há um ano à espera deste dia. É um dia marcante para os profissionais de saúde e para todos os cabo-verdianos”, afirmou a enfermeira, logo após receber a primeira dose da vacina da Pfizer, antecipando o arranque oficial da campanha de vacinação em Cabo Verde, que vai abranger, para já, os profissionais de saúde que trabalham na linha da frente do combante à pandemia.

Eram 10:30 locais (11:30 em Lisboa) quando a enfermeira recebeu a vacina no centro de saúde de Achada de Santo António. Seguiram-se três médicas – incluindo a delegada de Saúde da Praia, Ulardina Furtado -, outra enfermeira e uma técnica auxiliar.

Publicidade

“Para mim foi uma honra ser a primeira pessoa a ser vacinada. Aconselho toda a população a aderir à campanha de vacinação”, afirmou a enfermeira, sabendo de antemão da polémica, que também tem marcado a realidade em Cabo Verde, sobre a segurança destas vacinas.

“Todos os medicamentos têm risco, mesmo o simples paracetamol. Mas a vacina tem mais benefícios do que risco”, sublinhou a enfermeira, a mais velha ao serviço naquela unidade de saúde, após ser vacinada na presença do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e do ministro da Saúde, Arlindo do Rosário.

Cabo Verde recebeu 24.000 doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca em 12 de março e 5.850 da Pfizer dois dias depois, prevendo o Governo lançar oficialmente em todo o país a vacinação nacional em 19 de março – quando passa precisamente um ano sobre o primeiro caso de covid-19 confirmado no país – e assumindo a meta de vacinar 70% da população até final do ano.

Contudo, esta campanha arranca apenas com vacinas da Pfizer, enquanto são aguardados esclarecimentos sobre a segurança das da AstraZeneca. O Governo explicou anteriormente que “manda o princípio da precaução que as dúvidas levantadas sejam totalmente esclarecidas”, relativamente às vacinas da AstraZeneca.

As doses já recebidas em Cabo Verde inserem-se num total de 108 mil a fornecer pela AstraZeneca ao abrigo da Covax, iniciativa fundada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que visa garantir uma vacinação equitativa contra o novo coronavírus.

Contudo, nos últimos dias têm surgido suspeitas de alegados efeitos secundários da vacina da AstraZeneca, que levaram vários países a suspender o seu uso.

Enquanto aguarda a clarificação sobre a segurança da vacina do fabricante anglo-sueco, o Ministério da Saúde, em articulação com a Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS), está a “acompanhar de perto o evoluir da situação”, aguardando pelas “devidas recomendações” para “uma decisão devidamente ponderada e responsável antes de se iniciar com a aplicação da vacina”.

Esta quarta-feira, Cabo Verde contabilizava 480 casos ativos e 15.599 doentes recuperados da doença, 158 mortos, cinco óbitos por outras causas e oito doentes transferidos para o exterior, desde o início da pandemia no país.

Artigo anteriorCovid-19/Um ano: Emigrantes portugueses descrevem período “complicado” em França devido à pandemia
Próximo artigoTuristas britânicos podem voltar a Portugal a partir de 17 de maio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui