Início Saúde Covid-19: Alemanha regista 180 mortes e mais 9.549 contágios em 24 horas

Covid-19: Alemanha regista 180 mortes e mais 9.549 contágios em 24 horas

325
0

A Alemanha registou 180 mortes provocadas pela covid-19 e 9.549 novas infeções nas últimas 24 horas, faltando ainda os dados do Estado de Baden-Wurttemberg, indica hoje o Instituto Robert Koch (RKI).

A incidência de novos contágios do novo coronavírus situa-se em 135.2 por 100 mil habitantes e 112.482 novos positivos em sete dias, face a 134,2 na segunda-feira e 108,1 na passada terça-feira.

Na semana passada, os novos contágios ascendiam a 7.485 no período de um dia e o número de óbitos a 250.

Publicidade

O fator semanal de reprodução (R) situa-se em 1,10 o que implica que 100 pessoas infetadas contagiam – em média – outras 110 pessoas.

No país morreram 76.93 pessoas de covid-19 desde o início da pandemia e contabilizam-se até ao momento 2.791.822 contágios, no total, sendo que 2.507.900 pacientes conseguiram recuperar da doença.

O RKI estima que na Alemanha existem neste momento 207.800 casos ativos de covid-19.

Nas unidades de cuidados intensivos estavam internados, na segunda-feira, 3.573 doentes com covid-19 – 116 mais no período de 24 horas -, dos quais 1.961 precisavam de respiração assistida, segundo os dados da Associação Interdisciplinar Alemã de Cuidados Intensivos e de Medicina de Urgência (DIVI).

Nas últimas 24 horas, as unidades de cuidados intensivos alemãs receberam 425 novos pacientes com covid-9 das quais 99 morreram da doença.

Na Alemanha receberam as duas doses da vacina 3.877.914 pessoas, 4,7% da população, e 9.001.925 (10,8% dos habitantes) a primeira dose do composto.

Nas últimas 24 horas, 123.170 mil cidadãos receberam a primeira dose da vacina e 44.522 foram inoculados com a segunda dose.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.784.276 mortos no mundo, resultantes de mais de 127 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Artigo anteriorJohnson & Johnson começa a distribuir a sua vacina na Europa a 19 de abril
Próximo artigoCasal português retido em São Tomé foi apoiado pela Embaixada – MNE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui