Início Saúde Constança Braddell já recebeu o medicamento para tratar a fibrose quística

Constança Braddell já recebeu o medicamento para tratar a fibrose quística

545
0
Numa mensagem deixada nas redes sociais, Constança Braddell divulgou que já recebeu o Kaftrio, medicamento inovador para tratar a fibrose quística.

“Imaginei tantas vezes o que sentiria na chegada deste dia e a verdade é que por mais que tente, não consigo pôr por palavras aquilo que sinto”, escreveu a jovem no Instagram.

“A onda de solidariedade que se gerou desde o momento em que partilhei a minha situação de desespero. O carinho e apoio incondicional que recebi da vossa parte é imensurável. Sem vocês, o Kaftrio não estaria aqui na minha mão, é um sonho tornado real. Uma sensação de missão cumprida”, pode ler-se.

“É surreal a sensação de ter comigo o milagroso comprimido “life changing” e lembrar-me que há uma semana estava entre a vida e a morte. Gratidão profunda é o que sinto”, referiu Constança Braddell.

Publicidade

O Infarmed aprovou a 9 de março 14 pedidos de Autorização de Utilização Especial (AUE) do Kaftrio, medicamento para tratamento da fibrose quística, entre os quais seis do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN).

A história de Constança foi conhecida quando a hjovem lançou um apelo emocionado no seu Instagram, intitulado “não quero morrer”.

O caso de Constança teve ‘eco’ em vários partidos com assento parlamentar, que pediram ou exigiram esclarecimentos ao Governo e que este acelerasse o processo de aprovação do medicamento, nomeadamente o PS, o PSD, o PAN e o CDS-PP.

Em menos de 48 horas, Constança Braddell conseguiu angariar mais de 190 mil euros através da plataforma GoFundMe.

Agora, a jovem refere que é “um orgulho” saber que inspirou outros doentes com fibrose quística “a partilharem as suas histórias”.

“A minha primeira batalha está ganha, mas a luta está longe de acabar. A comunidade FQ precisa do Kaftrio para sempre e não apenas durante alguns meses, não pode nem deve ser dado exclusivamente a alguém que está a morrer! Juntos iremos lutar até que seja aprovado pelo Infarmed e incluído no SNS”, rematou.

 

 

Artigo anteriorCovid-19: BE avança com violação por assédio em teletrabalho e reforça contratação coletiva
Próximo artigoEDP vai pagar a António Mexia 2,4 milhões de euros até 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui