Início Saúde Covid-19: Brasil aplica primeira dose de vacina minutos após aprovação

Covid-19: Brasil aplica primeira dose de vacina minutos após aprovação

141
0
FOTO: AMANDA PEROBELLI/REUTERS

O Brasil, um dos países mais afetados pela pandemia de covid-19, aplicou hoje a primeira dose da vacina contra a doença a uma enfermeira, em São Paulo, após a aprovação de duas vacinas pela entidade reguladora brasileira.

A primeira dose da vacina ‘Coronavac’, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e pelo Instituto Butantan, brasileiro, foi aplicada poucos minutos depois de a sua utilização de emergência ter sido aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A primeira inoculação foi aplicada a Mônica Calazans, 54 anos, enfermeira no Hospital das Clínicas na capital paulista, durante uma cerimónia presidida pelo governador de São Paulo, João Doria, o principal rival político do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Publicidade

“Isto é um triunfo da ciência, um triunfo da vida contra os negacionistas, contra aqueles que preferem o cheiro da morte à coragem e alegria da vida”, disse Doria, num discurso cheio de críticas implícitas a Bolsonaro, que não esteve presente na cerimónia.

Bolsonaro, um dos líderes mundiais que mais tem negado a gravidade da pandemia, questionou publicamente a eficácia das vacinas e até vetou inicialmente a vacina promovida pelo Instituto Butantan, um órgão dependente do governo de São Paulo.

Doria, que já deu a entender as suas aspirações políticas para as eleições presidenciais de 2022, salientou que a aplicação da primeira vacina “é uma lição” para os “autoritários” que “desprezam a vida e não têm compaixão”.

“A vitória de hoje, o dia V de vacina, o dia V de vida, pertence àqueles que dão valor e trabalham pela vida, em oposição àqueles que a negaram nos últimos 11 meses”, disse Doria.

Para além da vacina do Instituto Butantan, a Anvisa também autorizou hoje a utilização de emergência do antigénio produzido pela Universidade de Oxford e pelo laboratório anglo-sueco AstraZeneca, a principal aposta do Governo Bolsonaro, mas cujas doses ainda não chegaram ao país.

Com quase 210.000 mortes e 8,4 milhões de casos, o Brasil é o segundo país do mundo com o segundo maior número de mortes por cobiça depois dos Estados Unidos, e o terceiro maior número de infeções depois dos EUA e da Índia.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.022.740 mortos resultantes de mais de 94,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.