Início Atualidade Fenómenos da Natureza Estrada que abateu na Madeira é municipal mas foi construída pelo Governo...

Estrada que abateu na Madeira é municipal mas foi construída pelo Governo Regional

382
0
O aluimento de parte da Rua Marechal Spínola esta manhã por volta das 07:30 encerrou totalmente esta via de circulação secundária no Porto da Cruz, em Machico, Ilha da Madeira, 2 de dezembro de 2020. HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

A estrada na freguesia do Porto da Cruz, concelho de Machico, na Madeira, onde um troço com cerca de 80 metros se abateu hoje, foi construída pelo governo regional, mas é da responsabilidade da Câmara Municipal, esclareceu a autarquia.

“A estrada, agora, é municipal”, disse o presidente do município, o socialista Ricardo Franco, que se deslocou ao local para verificar a ocorrência, esclarecendo, no entanto, que já tinha alertado a Direção Regional de Estradas para o risco, tendo a estrutura respondido que estava a monitorizar a situação.

A via, designada Rua Marechal Spínola, foi construída no início dos anos 2000 e estabelece a ligação entre o centro da vila do Porto da Cruz e a via rápida, na costa norte da ilha da Madeira, mas a sua interdição não afeta a localidade, devido à existência de outros acessos.

Publicidade

A derrocada do pavimento ocorreu cerca das 07:00 na sequência das chuvas fortes que caíram durante a noite, numa curva, junto a uma casa onde reside um casal de emigrantes septuagenários, regressados de França, que agora estão impedidos de retirar os dois automóveis da garagem.

“Isto sucedeu mais ou menos às 07:00. Eu senti um rumor. Acordei sobressaltado, mas deu uns trovões fortes e chuva e eu pensei que era disso”, disse à agência Lusa José da Costa, explicando que meia hora mais tarde começou a ouvir vozes no exterior e foi então que tomou conta da situação.

Apesar de possuir outra casa, José da Costa recusa-se a abandonar aquela, vincando que o abatimento da estrada já era previsível “há muitos anos” e que não foi por “falta de aviso” que as autoridades não atuaram.

“Eu gastei um par de botas, [a me deslocar] à Câmara e à Junta de Freguesia. Sempre sem resposta, até hoje”, disse.

O presidente da Câmara Municipal realçou, por seu lado, que também vinha alertando a Direção Regional de Estradas há vários anos para o risco de derrocada do pavimento naquele troço, admitindo que, agora, se encontram perante uma “situação complicada ao nível da engenharia”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.