Início Futebol Liga Portuguesa Conceição repete pleno de triunfos entre ‘grandes’ de Mourinho e Hagan

Conceição repete pleno de triunfos entre ‘grandes’ de Mourinho e Hagan

113
0
FC Porto's head coach Sergio Conceicao celebrates after winning their 29th Portuguese First League title at Dragao stadium, in Porto, north of Portugal, 15 July 2020. FC Porto won their match against Sporting for 2-0. JOSE COELHO/LUSA

O FC Porto selou hoje o pleno de triunfos entre ‘grandes’ na edição 2019/20 da I Liga portuguesa de futebol, replicando o que só havia sido conseguido pelo Benfica de 1971/72 e a versão 2002/03 dos ‘dragões’.

Depois dos triunfos na Luz (2-0) e em Alvalade (2-1) na primeira volta, e de uma crucial vitória na receção aos ‘encarnados’ (3-2) a abrir a segunda, os novos campeões nacionais bateram hoje em casa o ‘imbatível’ Sporting de Rúben Amorim por 2-0.

O Benfica, de Jimmy Hagan, tinha sido o primeiro a conseguir este feito, o FC Porto, de José Mourinho, replicou-o, 31 anos depois, e, volvidas 17 épocas, foi a vez dos comandados por Sérgio Conceição ‘arrasarem’ no campeonato entre ‘grandes’.

Publicidade

Na primeira volta, o FC Porto venceu os dois jogos em Lisboa, por 2-0 na Luz, com tentos de Zé Luís (22 minutos) e Marega (86), e por 2-1 em Alvalade, com novo tento do maliano (06) e um de Soares (73), contra um de Acuña (44).

A terceira vitória aconteceu no Dragão, onde o Benfica, mesmo com um ‘bis’ de Vinícius (18 e 50 minutos), não evitou um desaire por 3-2, selado com tentos de Sérgio Oliveira (10), Alex Telles (38, de penálti) e Vlachodimos (44, na própria baliza).

Este encontro foi determinante nas contas do ‘onze’ de Sérgio Conceição, pois, perdendo, o FC Porto ficaria, então, a 10 pontos do líder Benfica e, praticamente, sem hipóteses de chegar ao segundo cetro em três anos.

Hoje, o encontro voltou a ser decisivo, não porque a vitória na prova ainda estivesse em discussão, mas pelo facto de valer, matematicamente, o 29.º título. O empate até era suficiente, mas os ‘dragões’ conseguiram vencer.

Um golo de Danilo Pereira, aos 64 minutos, o 16.º de cabeça e o 13.º na sequência de um canto dos portistas na prova, e um tento do maliano Marega, aos 90+1, selaram o segundo pleno dos ‘dragões’, depois do conseguido por José Mourinho.

Em 2002/03, na primeira época completa de ‘Mou’ nos ‘azuis e brancos’, após ter entrado a meio de 2001/02, o FC Porto também fechou, então já campeão, o pleno com um triunfo na receção ao Sporting, vencendo por 2-0, com golos de Hélder Postiga e Maniche.

A série começou nas Antas, perante o Benfica, com um triunfo por 2-1, com um autogolo de Éder e um tento de Deco, após Tiago adiantar os ‘encarnados’, e, prosseguiu com vitórias por 1-0 em Alvalade (marcou Costinha) e na Luz (Deco).

O FC Porto acabou o respetivo campeonato com 11 pontos de avanço sobre o Benfica, segundo, e 27 face ao Sporting, terceiro, e arrebatou ainda a Taça UEFA (3-2 após prolongamento ao Celtic, na final) e a Taça de Portugal (1-0 à União de Leiria).

O primeiro pleno entre os ‘grandes’, e único do Benfica, foi conseguido em 1971/72 e começou nas Antas, com um triunfo por 3-1, logo na ronda inaugural, com um ‘bis’ de Eusébio e um tento de Artur Jorge, na segunda parte, depois de Abel marcar na primeira.

Em Alvalade, à 14.ª ronda, os ‘encarnados’ foram ainda mais convincentes, vencendo por claros 3-0, com golos de Eusébio, mais um, Rui Rodrigues e Nené. Na segunda volta, as vitórias caseiras foram tangenciais, com António Simões a selar o 1-0 face ao FC Porto e Eusébio a ‘bisar’ face ao Sporting, derrotado por 2-1.

O pleno de triunfos do Benfica estendeu-se à Taça de Portugal, já que o ‘onze’ de Jimmy Hagan goleou em casa o FC Porto nas ‘meias’, por um implacável 6-0, para, na final, no Jamor, bater o Sporting por 3-2, graças a um ‘hat-trick’ do ‘rei’.

Eusébio decidiu sobre o final do prolongamento, aos 118 minutos, selando um perfeito 6-0 do Benfica nos embates entre ‘grandes’, com 18 golos marcados – oito do ‘pantera negra’, que acabou a época com 27 – e quatro sofridos.

Por seu lado, o Sporting acabou cinco campeonatos invicto entre os ‘grandes’ – contra 20 do FC Porto e 13 do Benfica -, mas nunca ganhou os quatro jogos na mesma época, tendo como melhor três triunfos e um empate, em 1952/53 e 1969/70.

Quanto ao FC Porto, ainda jogará o pleno na época, face ao Benfica, na final da Taça de Portugal, em 01 de agosto, num ‘deserto’ Estádio Cidade de Coimbra em Coimbra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.