Início Economia Bolsas Ações da dona do ex-BESI voltaram a negociar nas praças financeiras chinesas

Ações da dona do ex-BESI voltaram a negociar nas praças financeiras chinesas

731
0

Pequim, 02 dez (Lusa) – As ações do grupo chinês Haitong, que adquiriu o antigo banco de investimento português BESI (atual Haitong), voltaram esta semana a negociar nas bolsas de Xangai e de Hong Kong, após terem estado suspensas na sexta-feira passada.

Segundo um comunicado enviado aos investidores, a empresa suspendeu as negociações nas praças financeiras chinesas, após notificação de que estaria a ser investigada pela Comissão Reguladora do Mercado de Valores da China.

A mesma nota refere que a decisão do regulador chinês deveu-se a suspeitas de irregularidades nos contratos estabelecidos pela empresa com os clientes e a prática de empréstimos com imposição de margens.

Publicidade

Aquele mecanismo, que consiste em operações recorrendo a crédito concedido pelo corretor, tem sido alvo de escrutínio pelas autoridades chinesas desde que entre meados de junho e o dia 09 de julho a bolsa de Xangai desvalorizou 30%.

“A solução passará por uma multa a ser aplicada pelo regulador, que se prevê elevada, o que se traduzirá numa quebra dos lucros da Haitong”, disse hoje à Lusa em Pequim Pedro Dinis, analista na Z-Ben Advisors, uma consultora sedeada em Xangai.

“Todo este processo deverá afetar o ‘rating’ da Haitong, atribuído pelo regulador, o que, por sua vez, poderá limitar o crescimento do grupo no próximo ano”, explicou o português.

Em setembro passado, a empresa foi confiscada em 28,65 milhões de yuans (3,9 milhões de euros) provenientes de lucros considerados ilegais pelo regulador da China, tendo ainda pago uma coima avaliada em 11,9 milhões de euros.

Desde o início de junho, as ações da Haitong Securities no índice de Hong Kong caíram 46,4%.

A empresa financeira estatal com sede em Xangai concluiu este ano a compra da totalidade do capital do atual ex-BESI, ao Novo Banco, por 379 milhões de euros.

Artigo anteriorCoimbra recebe em 2016 segundo ciclo de concertos de música erudita
Próximo artigoOxfam imputa metade das emissões de CO2 a 10% dos habitantes mais ricos do mundo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui