Início Culturas Cinema Wim Wenders, a relação com a fotografia e com Portugal, a partir...

Wim Wenders, a relação com a fotografia e com Portugal, a partir de hoje em Lisboa

669
0

Lisboa, 07 nov (Lusa) – A rodagem de três filmes em Portugal dá o mote a uma exposição de fotografia e a uma retrospetiva que o realizador alemão Wim Wenders apresenta no Lisbon & Estoril Film Festival (LEFF).

Mais de quinze anos depois de ter integrado os Encontros de Fotografia de Coimbra, Wim Wenders volta a ter uma exposição em Portugal. Chama-se “À luz do dia até os sons brilham” e apresenta, a partir de hoje, no Reservatório da Mãe d’Água, às Amoreiras, cerca de 30 fotografias captadas no país, entre 1980 e 1994.

Wim Wenders, 70 anos, rodou em Portugal os filmes “O estado das coisas” (1982), “Lisbon Story – Viagem a Lisboa” (1994), com a participação dos Madredeus e Manoel de Oliveira, e algumas cenas de “Até ao fim do mundo” (1991). Foi durante a preparação destes filmes que Wim Wenders captou as imagens da exposição que agora inaugura.

Publicidade

Aqueles três filmes também são exibidos ao longo do LEFF e a eles juntam-se ainda “Reverse angle”, curta-metragem de 1982, e o mais recente filme de ficção de Wim Wenders, “Tudo vai ficar bem”, que chegará aos cinemas no dia 12. Este filme é mostrado hoje em antestreia e em versão 3D, em Lisboa.

“Até ao fim do mundo”, um “road movie” futurista, com William Hurt e Solveig Dommartin, será mostrado numa versão longa, com mais de quatro horas.

Wim Wenders, considerado um dos nomes do novo cinema alemão, é argumentista, realizador, produtor, documentarista, com uma prática artística que se estende à fotografia. O trabalho do autor passa ainda pela fundação que criou recentemente, que disponibiliza o trabalho dele e apoia novos artistas.

Detentor de vários prémios internacionais – recebeu este ano o prémio de carreira em Berlim -, Wim Wenders tem ainda publicados vários livros de fotografia, fruto de exposições que realiza com regularidade desde os anos 1980.

Foi em 1987 que Wim Wenders teve patente em Portugal a primeira grande exposição de fotografia, “Written in the west”, – que capta muitas das paisagens retratadas no filme “Paris, Texas” -, no âmbito dos Encontros de Fotografia de Coimbra.

“A angústia do guarda-redes no momento do penalty” (1972), “Alice nas cidades” (1974), “O amigo americano” (1977), “Hammett” (1982), “As asas do desejo” (1987) e os documentários “Tokyo-Ga”, sobre o cineasta Yasujiro Ozu, “Buena Vista Social Club” (1999), “Pina” (2011), sobre Pina Bausch, e “O sal da terra” (2014), sobre o fotógrafo Sebastião salgado, são alguns dos filmes com assinatura de Wim Wenders.

O Lisbon & Estoril Film Festival decorre desde sexta-feira em vários espaços de Lisboa e do Estoril, e termina no dia 15.

A exposição de fotografia “À luz do dia até os sons brilham – Wim Wenders à descoberta de Portugal” ficará patente até abril de 2016. A inauguração está marcada para hoje, às 15:00.

Artigo anteriorGoverno não confirma fim da prova dos professores
Próximo artigoO fim do colonialismo: Retornados, uma presença “invisível” que perdura

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui