Início Culturas Primeira mostra individual de Francisco Vidal no Reino Unido lembra Angola

Primeira mostra individual de Francisco Vidal no Reino Unido lembra Angola

1365
0

O artista plástico Francisco Vidal estreia-se, hoje, com uma exposição individual em Londres, a primeira no Reino Unido, onde faz uma referência ao processo de independência de Angola, que celebrou 40 anos esta semana.

“Workshop Maiana Mutamba” é o nome da mostra, que se centra nos “quadros” de catanas, uma série em curso na qual o artista pinta flores de algodão de cores vivas, diretamente em machetes de metal, semelhantes àqueles usados para fazer a colheita do algodão.

O tema da série é uma referência ao “massacre da Baixa de Cassanje”, um episódio sangrento da guerra colonial em Angola, em 1961, quando um protesto de trabalhadores de uma plantação de algodão foi reprimido violentamente pelas autoridades portuguesas.

Publicidade

Segundo o folheto de apresentação, aquele é considerado o primeiro confronto no processo que deu origem à independência do país, em 1975.

Este trabalho artístico segue uma metodologia do artista nascido em Lisboa, filho de pai angolano e mãe cabo-verdiana, que aborda o artista como uma máquina e o estúdio como uma oficina, e defende a produção automática em massa como uma forma de criar um mundo melhor.

Francisco Vidal foi selecionado para fazer parte do pavilhão de Angola na 56.ª edição da Bienal de Veneza

A curadora da exposição na galeria Tiwani Contemporary, Eva Langret, descreve a obra de Vidal como “vibrante, peripatética, delirante”. “É uma confluência de muitas rotas culturais, incluindo a pintura neo-impressionista, o jazz, o graffiti, novelas gráficas (…). É ambiciosa”.

A exposição, que fica patente até 19 de dezembro, surge após uma residência durante o verão, em que Francisco Vidal transformou a galeria num estúdio e onde produziu o trabalho.

Francisco Vidal dos Santos é licenciado em Artes Plásticas pela Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, fez um curso avançado em Artes Visuais na Escola de Artes Visuais Maumaus, em Lisboa, e tem um mestrado na Universidade de Columbia, em Nova Iorque.

Tem realizado várias exposições individuais e coletivas em Lisboa e Luanda.

Artigo anteriorSismo de magnitude 7,0 na escala de Richter abala sudoeste do Japão
Próximo artigoMísia apresenta em Lisboa o novo álbum que é um tributo a Amália Rodrigues

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui