Início Mundo Atentados em Paris Nova operação policial em curso na zona bruxelense de Molenbeek

Nova operação policial em curso na zona bruxelense de Molenbeek

926
0

Bruxelas, 15 nov (Lusa) – A polícia belga está hoje a conduzir uma nova operação de grande envergadura em Molenbeek, em Bruxelas, tendo as forças de segurança fechado um bairro e cercado um edifício.

A operação policial em curso, que envolve forças especiais, ocorre dois dias depois de uma outra que levou à detenção de sete pessoas por suspeita de envolvimento nos atentados terroristas de sexta-feira à noite em Paris, que provocou 129 mortos e mais de 400 feridos.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou no sábado, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris.

Publicidade

Os ataques, perpetrados por pelo menos sete terroristas, que morreram, ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos Bataclan e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que François Hollande classificou como “ataques terroristas sem precedentes no país”.

Entretanto, os investigadores identificaram dois novos terroristas suicidas, responsáveis pelos atentados de sexta-feira em Paris, anunciou hoje o procurador de Paris, acrescentando que um dos terroristas identificados, Ahmad Al Mohammad, tinha passaporte sírio e foi localizado na Grécia, em outubro passado.

O segundo, Samy Amimour, é um francês de 28 anos, nascido na periferia parisiense, que a justiça antiterrorista já conhecia e era alvo de um mandado internacional de captura desde 2013, disse o magistrado encarregado do inquérito, François Molins, em comunicado.

Amimour esteve envolvido no massacre de 89 pessoas na sala de espetáculos Bataclan, afirmou.

As emissoras RMC e BFM TV noticiaram, entretanto, ter sido identificado um quarto terrorista suicida, Salim, de 29 anos e natural de Paris.

Este ‘jihadista’ – do qual ainda não foi divulgado o apelido – foi um dos três que acionou o colete de explosivos no Bataclan.

Antes, as autoridades identificaram Ibrahim Abdelslam, irmão do homem mais procurado em França, Salah, suspeito de ter integrado os comandos ‘jihadistas’ que cometeram os massacres de Paris, e irmão também de Mohamed, detido no sábado em Bruxelas.

O primeiro dos autores dos ataques de Paris a ser identificado pela polícia, Ismael Omar Mostefai, é alegadamente filho de uma portuguesa e de um argelino, noticiou no domingo o New York Times, citando o presidente da câmara de Chartres. Mostefai foi um dos atacantes do Bataclan.

Artigo anteriorLuxemburgo: bandeiras a meia haste e 1 minuto de silêncio
Próximo artigoFrança: 23 pessoas detidas e 31 armas apreendidas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui