Início Mundo América Colômbia: Há 300 alunos a estudar Português na Universidade em Bogotá

Colômbia: Há 300 alunos a estudar Português na Universidade em Bogotá

2211
0

Há cerca de 300 alunos a estudar Língua Portuguesa na Universidade de los Andes, em Bogotá, Colômbia. Uma equipa de seis professores de Língua e três professores de Literatura, é responsáveis pelo aumento do número de alunos naquela universidade nos últimos anos.

São estudantes dos mais variados cursos, desde administração a engenharia química, revela Ana FIlipa Prata, responsável pelo Leitorado de Língua e Cultura Portuguesa, inaugurado em fevereiro deste ano.

O interesse “por Portugal e pela cultura portuguesa tem sido cada vez maior e desde 2013, ano em que Portugal foi o país convidado da FILBO (Feira Internacional do Livro de Bogotá), não têm parado as actividades de divulgação cultural com músicos e autores portugueses”, revela Ana Filipa Prata, professora de Literatura Portuguesa e coordenadora do Leitorado de Língua e Cultura Portuguesa, inaugurado em fevereiro deste ano na Universidade de los Andes, fruto de um protocolo com o Camões, Instituto da Língua e da Cooperação.

Publicidade

A Língua e a Literatura Portuguesa é ensinada a cerca de 300 alunos dos mais variados cursos da universidade, desde administração a engenharia química. “Neste momento tenho um grupo de estudantes de ‘nível 2’ de língua portuguesa e no próximo semestre já serão dois, o que corresponderá a cerca de 50 alunos. Leciono também a disciplina de Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa, que conta com cerca de 15 estudantes, um êxito, tendo em conta que esta era uma área totalmente desconhecida na Universidade e nunca lecionada na Colômbia”, revela a leitora.

Curso de pós-graduação chega em 2016

Para além do ensino, os projetos dinamizados pelo Leitorado, são também responsáveis pelo crescente interesse pela língua de Camões. É o caso do curso de Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa, o primeiro já implementado este semestre, com aulas a decorrer.

“É importante salientar que este é um curso aberto a qualquer estudante da universidade e que mais nenhuma universidade na Colômbia o propõe nos seus currículos. No próximo semestre, temos já um curso aprovado para o programa de pós-graduação”, revela ainda Ana Filipa Prata.

No passado dia 20 de outubro, o leitorado organizou em colaboração com a Cátedra Fernando Pessoa, que é dinamizada na mesma universidade, um colóquio dedicado à Literatura Portuguesa moderna e contemporânea.

O evento que contou com o apoio do Departamento de Humanidades e Literatura e o Departamento de Arquitectura da Universidad de los Andes, intitulou-se “Paisagens urbanas na literatura portuguesa”, tendo sido ainda apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Ainda nesse âmbito, está a ser preparado um número da revista de arquitectura da Universidad de los Andes dedicado ao tema “Literatura e Arquitectura em Portugal”, que deverá estar em circulação em 2017.

Mas as novidades não param por aqui. “Gostaria ainda de salientar que o Leitorado está a trabalhar em colaboração com a Embaixada para que no próximo ano seja possível abrir um centro de avaliação de português europeu na universidade, com vista a dar resposta a várias solicitações da comunidade portuguesa na Colômbia e de forma a consolidar a aposta do ensino do Português na sua dimensão mais ampla”, antecipa a leitora.

Ana Filipa Prata congratula-se pelo cada vez maior interesse que desperta o Português, a que não está alheia a proximidade com o Brasil e a publicação crescente na Colômbia, de obras de autores portugueses e de outros países lusófonos.

“Há uma série de escritores portugueses, sobretudo contemporâneos, publicados em editoras colombianas. Há um verdadeiro entusiasmo em torno da literatura portuguesa e um interesse crescente em aprofundar esta área enquanto campo de estudos e de formação universitária. Claro que o peso da língua portuguesa neste país é muito importante, já que faz fronteira com o Brasil”, explica a leitora.

Este interesse na língua de Camões, revela, leva ainda o Leitorado a priorizar uma colaboração próxima com a equipa de português do Departamento de Línguas e Culturas da Universidad de los Andes, “com vista a promover o estudo da língua portuguesa no seu contexto plural, abarcando as diferentes variantes linguísticas e culturais do espaço da lusofonia”.

A leitora acredita que o interesse vai continuar a crescer, por há cada vez mais estudante e porque estes “vão ganhando consciência de que é de uma vantagem enorme aprender esta língua falada por milhões de pessoas em todo o mundo”.

“O trabalho do Leitorado do Camões, IP é essencial neste aspecto. Consolida-se o ensino universitário da língua e da literatura a nível da graduação e abrem-se novos cursos nos cursos de pós-graduação”, destaca Ana Filipa Prata.

Artigo anteriorNão, não é uma invasão extraterrestre. São nuvens lenticulares
Próximo artigoValter Hugo Mãe e Chico Buarque entre os finalistas no Prémio Oceanos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui