Início Política Câmara de Faro aprova orçamento para 2016 com único voto favorável do...

Câmara de Faro aprova orçamento para 2016 com único voto favorável do presidente

916
0

A Câmara de Faro anunciou hoje a aprovação de uma proposta de orçamento para 2016 no montante de 39,1 milhões de euros, que mereceu oito abstenções e apenas um voto favorável, do presidente da autarquia, Rogério Bacalhau.

Em declarações à Lusa, o presidente do município (PSD) explicou que o documento foi aprovado após a introdução de duas alterações sugeridas pelo PS, entre as quais a retirada de 800 mil euros da verba de 9,5 milhões destinada à aquisição de bens e serviços para pagar dívida contraída ao abrigo do Programa de Apoio à Economia Local (PAEL).

Apesar de não concordar com a retirada de 800 mil euros para abater a dívida de 15,5 milhões (de um empréstimo total de 16,7 milhões) e de entender que a medida “não resolve nenhum problema do município”, Rogério Bacalhau sublinhou que se viu na obrigação de votar favoravelmente o documento, caso contrário não haveria orçamento.

Publicidade

Na primeira reunião de Câmara destinada à apresentação e votação do orçamento, realizada a 12 de novembro e à qual a Lusa assistiu, o vereador socialista Paulo Neves criticou o aumento da verba – face ao corrente ano – destinada à aquisição de bens e serviços, classificando-a como uma “despesa verdadeiramente desinteressante”.

O documento acabou por ser aprovado em reunião extraordinária, na última sexta-feira à noite, com o voto favorável do presidente e as abstenções dos quatro vereadores do PS, três vereadores da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM e um vereador da CDU.

A coligação pela qual foi eleito o presidente da autarquia, nas eleições autárquicas de 2013, não detém a maioria na Câmara nem na Assembleia Municipal.

O orçamento previsto para 2016 é de 39,1 milhões de euros, menos 1,5 milhões do que o orçamento deste ano, fixado em 40,6 milhões de euros, especificou à Lusa o presidente da autarquia.

A segunda alteração ao documento inicial formulada pelo PS, com o apoio da CDU, foi a de aumentar para quase o dobro a verba destinadas às juntas de freguesia, de 170 mil para 290 mil euros.

Segundo Rogério Bacalhau, apesar de o orçamento para 2016 praticamente vedar ao município a possibilidade de novos investimentos, está prevista a continuidade de algumas medidas implementadas este ano.

“Vamos continuar, tal como este ano, a apoiar as associações sociais, culturais e desportivas, com 300 mil euros, e vamos também manter as bolsas de estudo, que implementámos este ano”, referiu.

Em vista para o próximo ano estão também a conclusão de algumas obras que eram para terminar este ano, mas que a autarquia não conseguiu, como intervenções na rede viária e obras de reabilitação nas escolas.

Artigo anteriorCâmara de Lisboa admite rever taxa de proteção civil em 2019
Próximo artigoAçores querem responsabilizar Estado por despesas de doentes deslocados no continente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui