Início faits-divers Luxemburgo: Resultados da presença de OGM nos alimentos em 2014

Luxemburgo: Resultados da presença de OGM nos alimentos em 2014

992
0

Luxemburgo, 27/10/2015. No decurso de 2014, os agentes do Departamento de Segurança Alimentar da Direcção de Saúde realizaram os controlos sobre a presença de organismos geneticamente modificados (OGM) não autorizados, em alimentos. Para este efeito, foram analisadas 125 amostras.

Além disso, os requisitos regulamentares para a rotulagem em caso de presença de OGM autorizados nos alimentos foram monitorizados.

Método

A pesquisa dos OGM começou com um primeiro passo da análise correspondente a uma triagem, para a deteção da maior parte dos OGM autorizados e não autorizados. Este rastreio foi representado por 184 análises em 2014.

Publicidade

O segundo passo foi a identificação e a quantificação de OGM específicos. Durante esta etapa, foram analisados 295 OGM específicos.

Resultados

Em toda a campanha de amostragem, um único produto foi considerado em não-conformidade em farinha de milho. A análise revelou a presença de milho transgénico MON 810 numa concentração superior a 0,9% e o produto não mencionava a presença de OGM. Este OGM é autorizado, mas exige uma rotulagem específica para informar os consumidores da presença de OGM no produto.

O produto foi retirado da venda para poder estar em conformidade com o procedimento de rotulagem.

Uma amostra de germes de soja foi detectada como não-conforme, devido ao seu nome comercial e como resultado dos resultados da análise, verificou-se que o produto consistia de espécies de feijão mungo e não de germes de soja. A conformidade da denominação de venda foi solicitada.

 

Conclusões

Na análise dos resultados, podemos notar que 5% das amostras mostraram a presença de um organismo geneticamente modificado num teor inferior a 0,9%. O conteúdo é permitido pelos regulamentos europeus e é considerado como fortuito e / ou tecnicamente inevitável.

A taxa de contaminação aumentou em comparação com os resultados de 2013 (3,1%).

Esta contaminação mostra que é sempre difícil a proteção das culturas convencionais e / ou processo de produção convencional onde existe a contaminação involuntária por organismos geneticamente modificados.

Este resultado confirma a importância de estar atento durante o processo de aceitação das culturas OGM no Grão-Ducado do Luxemburgo e manter uma política rígida no que diz respeito à autorização de organismos geneticamente modificados.

O Luxemburgo continuará estas campanhas de monitorização sobre os OGM em 2015.

Comunicado do ministério da Saúde 

Artigo anteriorPresença histórica dos portugueses em Macau “é fascinante”, diz Robert De Niro
Próximo artigoAdolescente detido por suspeita de ataque informático a operadora de televisão britânica

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui