Início Culturas Lídia Jorge vence prémio Urbano Tavares Rodrigues de 2015 com “Os Memoráveis”

Lídia Jorge vence prémio Urbano Tavares Rodrigues de 2015 com “Os Memoráveis”

1279
0

A escritora Lídia Jorge ganhou hoje o prémio Urbano Tavares Rodrigues, com o romance “Os Memoráveis”, no valor de 7.500 euros, anunciou hoje a Fenprof, que instituiu o galardão e que, com ele, assinala o Dia Mundial do Professor.

O prémio foi atribuído por unanimidade pelo júri – os escritores e professores Teresa Martins Marques, José Manuel Mendes e Paulo Sucena – à obra publicada em 2014.

Em comunicado, a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) refere que o júri considerou que o romance “constitui uma assumida marca de cidadania ao trazer a Revolução de Abril de 1974 para as páginas de uma obra literária, cuja intensidade de linguagem e mestria narrativa, conjugada por uma hábil técnica compositiva, faz dela uma notável presença na literatura portuguesa contemporânea”.

Publicidade

O prémio, instituído em parceria com uma seguradora, é divulgado há quatro anos neste dia em que se assinala o Dia Mundial do Professor, e distingue, alternadamente, romance/ficção com o prémio Urbano Tavares Rodrigues, e poesia, com o prémio António Gedeão.

O galardão destina-se em exclusivo a obras publicadas por professores, no ativo ou não, no ano anterior à sua atribuição.

Lídia Jorge foi professora do ensino secundário, e publicou a sua primeira obra, “O Dia dos Prodígios”, em 1980. É autora, entre outras obras, de “A Costa dos Murmúrios”, já adaptado ao cinema, “O Vento Assobiando nas Gruas”, “Combateremos a sombra” e “A Noite das Mulheres Cantoras”.

A escritora já recebeu, entre outros, o Prémio Dom Dinis, o Prémio PEN Clube, o Grande Prémio de Romance de Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE) e o Prémio Jean Monet de Literatura Europeia.

Em novembro do ano passado, Lídia Jorge foi distinguida, por unanimidade, com o Prémio Luso-Espanhol de Arte Cultura 2014, atribuído pelo Ministério da Cultura de Espanha e pela Secretaria de Estado da Cultura de Portugal, e, em março, recebeu o Prémio Vergílio Ferreira da Universidade de Évora.

Ainda no âmbito do Dia Mundial do Professor, a Federação Nacional de Educação (FNE) lançou a campanha #obrigadoprofessor, que tem por objetivo levar os portugueses a reconhecer a importância social dos professores.

A FNE afirma que a realidade “pouco dignifica os milhares de docentes que todos os dias contribuem para o ensino e a educação das nossas crianças” e que se tem assistido a uma “crescente fragilização da imagem social dos professores”.

“É por estes motivos que consideramos fundamental que se tomem iniciativas que promovam a imagem social dos professores, de modo a que os bons profissionais se sintam mobilizados na profissão e não a abandonem precocemente e para que os melhores alunos queiram ser professores. É preciso que a profissão seja atrativa”, declara a FNE.

Ao longo do mês de outubro, e ainda no âmbito na campanha #obrigadoprofessor, os sindicatos filados na FNE vão desenvolver várias ações nas escolas e nas ruas.

O Dia Mundial do Professor foi instituído em 1994, por decisão da UNESCO. A data de 05 de outubro, recorda a FNE em comunicado, “foi escolhida para reconhecer a importância da declaração da Organização Internacional do Trabalho e da UNESCO sobre a condição dos trabalhadores docentes, concretizada em 05 de outubro de 1966”.

Artigo anteriorAteliê português Aires Mateus vence concurso para criar dois museus em Lausanne
Próximo artigoPaula Rego cria 14 pinturas para livro infantil com lenda da “Sopa de Pedra”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui