Início Culturas Livros Davide Cali e Catarina Sobral assinam livro para a infância “A casa...

Davide Cali e Catarina Sobral assinam livro para a infância “A casa que voou”

1481
0

Lisboa, 27 out (Lusa) – A história de uma casa que se ergueu do chão e voou para longe é contada pelo autor suíço Davide Cali e ilustrada por Catarina Sobral, num livro para os mais novos que acaba de ser publicado pela Bruaá.

“A casa que voou” junta, pela primeira vez, dois premiados autores de livros para a infância, que contam com vários títulos publicados no mercado português.

O livro, direcionado para crianças, mas que serve todos os públicos, desenrola-se a partir da ideia de uma casa que um dia “simplesmente [se] ergueu do chão e levantou voo”, obrigando o proprietário a pedir ajuda a várias entidades: o Gabinete dos Desastres Naturais, o Gabinete dos Perdidos e Achados e o Gabinete de Facilitação e Segurança da Aviação Civil.

Publicidade

Com uma narrativa visual a prolongar-se para as guardas do livro, “A casa que voou” aborda a dicotomia campo/cidade, mas tem vários níveis de interpretação, remetendo também para os meandros da burocracia e para a temática das memórias de infância.

“Foi exatamente ali, no sítio onde antes ficava o jardim da casa dos tios, que a casa pousou. Tudo em redor continuava igual. Nada tinha mudado desde a sua infância”, lê-se no livro.

“A casa que voou” tem já direitos de publicação vendidos para a China, Coreia do Sul e França.

Davide Cali, que esteve em Portugal no começo deste ano a convite de um colóquio sobre a infância, já publicou mais de 50 livros, alguns dos quais traduzidos e editados no mercado nacional, entre os quais “Eu espero…”, “A rainha das rãs não pode molhar os pés” e “Arturo”, todos pela Bruaá.

A estes juntam-se ainda, por outras editoras, títulos como “Não fiz os trabalhos de casa porque…”, “O que é o amor?”, “Um dia um guarda-chuva…” e “Adoro chocolate”.

Catarina Sobral é autora dos livros “Greve”, “Achimpa”, “Vazio”, “O chapeleiro e o vento”, “O meu avô”, que lhe valeu em 2014 o Prémio Internacional de Ilustração, e “A sereia e os gigantes”, editado em consequência desse prémio.

A estes, todos com história e ilustração de Catarina Sobral, junta-se ainda o livro “Não há dois iguais”, que ilustrou para um texto de Javier Sobrino.

Itália, Suécia, França, Brasil, Itália e Hungria são alguns dos países onde Catarina Sobral tem obra já traduzida.

Artigo anteriorPai e filha feridos em capotamento de carro
Próximo artigoMigrações: Mais de 700.000 chegaram este ano à Europa via Mediterrâneo – ONU

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui