Início Atualidade Cooperação transfronteiriça Portugal/Espanha tem 290 ME de fundos até 2020

Cooperação transfronteiriça Portugal/Espanha tem 290 ME de fundos até 2020

858
0
Ponte Rio Agueda

Uma representante da comissária de Política Regional da União Europeia (UE) anunciou hoje, em Viana do Castelo, que a cooperação transfronteiriça entre Portugal e Espanha vai dispor de 290 milhões de euros dos novos fundos europeus.

Verónica Gaffey, que falava durante uma reunião de trabalho com entidades do Norte de Portugal e da Galiza, adiantou que as áreas prioritárias até 2020 são as que se prendem com a inovação, investigação, desenvolvimento económico, ambiente, coesão territorial, eficiência de recursos, entre outras.

O presidente da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, José Soeiro, também presente na reunião, adiantou que desde 1994 já foram investidos na cooperação transfronteiriça entre Portugal e Espanha cerca de 1700 milhões de euros, sendo que, no período entre 2007/2013 o montante aplicado naquela fronteira rondou os 267 milhões de euros.

Publicidade

A deslocação de Verónica Gaffey, que é também chefe da Unidade de Avaliação da Direção Geral da Política Regional da Comissão Europeia, à capital do Alto Minho foi organizada pela Rede Ibérica de Entidades Transfronteiriças (RIET),com o apoio da associação transfronteiriça, Eixo Atlântico.

Integra-se num conjunto de visitas que a Comissão Europeia está a realizar a dez fronteiras europeias para avaliar o impacto de 25 anos de implementação do programa de cooperação territorial Interreg.

“É uma forma de conhecer os projetos implementados no terreno e levar essas ideias para Bruxelas”, sustentou aquela responsável.

No encontro, hoje em Viana do Castelo, onde participaram representantes de universidades do Norte de Portugal e da Galiza, da RIET, do Eixo Atlântico, empresários e outras entidades da euroregião, Verónica Gaffey anunciou ainda UE está a promover uma consulta pública, ‘online’, para “ouvir os cidadãos, empresários, e instituições”, sobre o impacto daquele programa comunitário, e recolher sugestões e soluções de investimento para os novos fundos.

Explicou que se trata de uma forma de recolher as “boas práticas”, realizadas até agora na aplicação dos fundos comunitários, “para as aplicar noutras zonas de fronteira” ao abrigo dos novos fundos europeus.

Além de Viana do Castelo, os contactos daquela responsável incluem, na quinta-feira, uma deslocação a Chaves, no âmbito da eurocidade Chaves-Verín, e a Braga, ao Centro de Nanotecnologia.

 

Artigo anteriorNova aventura de Astérix em mirandês com edição de 1.500 exemplares
Próximo artigoRui Moreira destaca “coesão invulgar” com PS em dois anos na Câmara do Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui