Início Atualidade Arcos de Valdevez: Alunos de medicina levam saúde a cinco aldeias isoladas

Arcos de Valdevez: Alunos de medicina levam saúde a cinco aldeias isoladas

1444
0

Cerca de 50 alunos de sete faculdades de medicina do país estão em Arcos de Valdevez até domingo para promover a saúde e a prevenção da doença junto dos habitantes de cinco aldeias isoladas daquele concelho.

Em declarações hoje à agência Lusa, Vitória Matos, a coordenadora do departamento de Saúde Pública da Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM), entidade que promove a iniciativa, explicou que de hoje a domingo estão a ser visitadas as aldeias de Grade, Riofrio, Sistelo, Soajo e Senharei.

“São aldeias muito distantes da sede do concelho e onde maioritariamente residem idosos. O objetivo é visitar habitações isoladas ou em situações de emergência social, de forma a prevenir o isolamento social e a inacessibilidade aos cuidados de saúde. Queremos identificar a sua situação médica e avaliar as condições sociais em que vivem”, explicou a fonte.

Publicidade

Durante os quatro dias da iniciativa, os cerca de 50 alunos, divididos em várias equipas e acompanhados por dez monitores, vão ainda visitar duas centenas de idosos institucionalizados em todos os lares de Arcos de Valdevez, e as cerca de 400 crianças que frequentam os jardins-de-infância do concelho”.

Para os alunos dos 4.º, 9.º e 12.º anos de escolaridade, de cinco escolas daquele concelho do Alto Minho, os estudantes de medicina de todas as sete faculdades do país irão promover sessões de “Educação para a Saúde”.

“Iremos abordar temas como a saúde reprodutiva, a prática de estilos de vida saudáveis, e os direitos humanos, em especial, o problema dos refugiados, hoje tão na ordem do dia”, explicou Vitória Matos.

Além daquelas ações, os estudantes de medicina vão ainda desenvolver rastreios ao colesterol, diabetes, hipertensão, avaliação do peso e massa gorda e aconselhamento nutricional.

Trata-se da quarta edição desta iniciativa organizada pela ANEM, que pretende, “além do serviço a prestar à população portuguesa, oferecer aos futuros médicos um contacto mais próximo com a realidade das populações, sensibilizando-os para as iniquidades existentes na saúde da comunidade onde se inserem”.

Fundada em 1983, a ANEM conta com 12 mil sócios, tendo como principal missão a representação em política educativa e educação médica, como garante para a qualidade do ensino médico e, consequentemente, da saúde em Portugal.

Artigo anteriorJovem afegã escapa de casamento arranjado ao fazer vídeo de rap
Próximo artigoDeustche Bank aumenta para 15 mil os despedimentos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui