Início Desporto Futebol FC Porto e Benfica têm muito a ganhar e pouco a perder

FC Porto e Benfica têm muito a ganhar e pouco a perder

1921
0
Liga dos Campeões

Redação, 27 set (Lusa) – FC Porto, anfitrião do Chelsea, na terça-feira, e Benfica, no reduto do Atlético de Madrid, na quarta, têm pela frente uma segunda jornada da Liga dos Campeões em futebol com muito a ganhar e pouco a perder.

Depois de uma entrada positiva – os ‘dragões’ com um empate a dois em Kiev, onde estiveram perto do triunfo, e as ‘águias’ com uma vitória ‘obrigatória’ na receção ao Astana -, os dois clubes lusos podem, pontuando, dar passos de ‘gigante’ rumo aos ‘oitavos’, sendo que, perdendo, nada comprometem.

No Grupo G, o ‘onze’ do espanhol Julen Lopetegui recebe os campeões ingleses, comandados por José Mourinho, que são os grandes favoritos e os líderes, depois da goleada caseira (4-0) imposta ao ‘frágil’ Maccabi Telavive.

Publicidade

Mais favorito a garantir o segundo posto, depois da igualdade em Kiev, onde brilhou o camaronês Vincent Aboubakar, com um ‘bis’, que virou um 0-1 em 2-1, o FC Porto recebe um conjunto frente ao qual não perdeu nos dois jogos no Dragão, sempre com Mourinho no banco dos londrinos.

Os ‘azuis e brancos’, então detentores do título, venceram por 2-1 uns já apurados ingleses na sexta jornada da fase de grupos da edição 2004/05 e empataram 1-1 em 2006/07, na primeira mão dos oitavos de final.

O FC Porto tem ainda a seu favor a entrada ‘desastrosa’ do Chelsea na temporada 2015/16, que se salda por um ‘impensável’ 15.º lugar no campeonato, depois do sofrido 2-2 no reduto do Newcastle, o mesmo resultado dos portistas – líderes em Portugal, a par do Sporting – em Moreira de Cónegos.

O embate do Dragão marcará também o reencontro do técnico luso com Casillas, depois de ‘Mou’ ter relegado para o banco o ‘intocável’ guarda-redes, na sua passagem Real Madrid, criando uma ‘novela’ que esteve na origem da saída – no último defeso – do guarda-redes dos ‘merengues’.

Casillas defronta pela primeira vez o treinador português, no dia em que cumpre o seu 152.º jogo na ‘Champions’ (desde 1992/93, sem pré-eliminatórias), isolando-se na liderança do ‘ranking’ de encontros disputados – Xavi conta 151.

No outro encontro do agrupamento, o Dinamo de Kiev, líder do campeonato ucraniano, precisa de vencer em Israel para continuar na corrida, com os portistas, ao apuramento para os ‘oitavos’. Qualquer outro resultado, seria muito positivo para os portugueses.

O Benfica entra, por seu lado, em ação na quarta-feira, no que é, claramente, o seu jogo mais complicado no Grupo C, no reduto de um Atlético de Madrid que mostrou logo a abrir (2-0 ao Galatasaray, na Turquia) o seu poderio.

Finalista vencido em 2013/14, o ‘onze’ do argentino Diego Simeone venceu os todos os seis jogos caseiros nas duas últimas fases de grupos da ‘Champions’, com um registo de 19-1 em golos, e, na época passada, em que chegou aos ‘quartos’, não sofreu qualquer tento no Calderón, em cinco jogos.

Em contraponto com este registo, o Benfica apresenta na presente temporada um ‘zero’ absoluto fora da Luz, em termos de resultados e golos – três desaires por 1-0, dois em ‘campo neutro’, com Sporting e Arouca, e um no reduto do FC Porto.

Num embate em que reencontrará Oblak, Siqueira e Tiago, mais os ex-portistas Óliver e Jackson Martinez, o Benfica, que tem os ex-‘colchoneros’ Pizzi, Raul Jiménez, Sílvio e Salvio, já ficará, certamente, satisfeito se pontuar.

Os ‘encarnados’ tiveram, porém, um fim de semana mais feliz, já que venceram (3-0 ao Paços de Ferreira) e aproximaram-se de FC Porto e Sporting, líderes em Portugal, enquanto o Atlético perdeu por 1-0 no reduto do Villarreal, que, assim, se isolou na liderança da Liga espanhola.

Quando encontrarem em campo na capital espanhola, os ‘encarnados’ já conhecerão o resultado do embate registado no ‘longínquo’ Cazaquistão, onde, na ótica do ‘onze’ de Rui Vitória, será positivo que o estreante Astana pontue na receção ao Galatasaray.

Em relação aos outros agrupamentos, destaque para a receção do Manchester United, que se estreou com um desaire por 2-1 em Eindhoven, ao Wolfsburgo, no Grupo B, e da Juventus ao Sevilha, os dois líderes do D. O Real Madrid joga em Malmö, com Cristiano Ronaldo de novo à procura de golos.

Na véspera, o FC Barcelona, campeão europeu em título, é anfitrião do Bayer Leverkusen: na última vez que se defrontaram em Nou Camp, a 07 de março de 2012, os catalães golearam por 7-1, com uma histórica ‘manita’ (cinco golos) do argentino Lionel Messi, agora grande ausente, devido a lesão.

Artigo anteriorSeul desconhece paradeiro de quase 700 refugiados norte-coreanos
Próximo artigoSíria: França bombardeia pela primeira vez posições do Estado Islâmico

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui