Início Atualidade Covid-19: CGTP faz balanço negativo, 100 mil desempregados e mais de 800...

Covid-19: CGTP faz balanço negativo, 100 mil desempregados e mais de 800 mil em lay-off

136
0
Isabel Camarinha, secretária-geral da CGTP.
 A CGTP fez hoje um balanço negativo dos efeitos da pandemia para os trabalhadores, porque cerca de 100 mil trabalhadores ficaram desempregados, mais de 800 mil entraram em “lay-off” e mais de um milhão perderam rendimentos.

“Fizemos uma análise dos três meses do surto epidémico e das medidas tomadas pelo Governo e concluímos que o balanço é muito negativo para os trabalhadores, pois mais de um milhão tiveram cortes no rendimento e cerca de 100 mil perderam o emprego, muitos sem terem sequer direito a subsídio de desemprego”, disse a secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha, à agência Lusa.

Os dados divulgados pela sindicalista em conferência de imprensa constam de um documento, a que a Lusa teve acesso, elaborado com base em estatísticas do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), relativas ao período entre 2 de março e 2 de junho.

Para a Intersindical, “o impacto da crise no emprego é multifacetado”, pois abrange os trabalhadores que perderam os empregos, os que se mantêm a trabalhar, mas têm os contratos de trabalho suspensos ou a duração do trabalho reduzida (lay-off), os que se encontram a trabalhar em casa por terem a cargo filhos menores de 12 anos cujas escolas foram encerradas, os trabalhadores independentes, com redução total ou parcial da sua atividade económica, os trabalhadores em teletrabalho, os trabalhadores em isolamento profilático e os trabalhadores com salários em atraso.

Publicidade

A central salientou o “forte aumento” de desempregados inscritos nos Centros de emprego desde o início da pandemia, embora mais acentuado em Abril, e referiu os 134 mil novos pedidos de prestações de desemprego.

Ao mesmo tempo, segundo a CGTP, os dados apontam para uma quebra abrupta em março, confirmada em abril, da percentagem de desempregados que recebe prestações do desemprego (subsídio de desemprego e subsídio social de desemprego).

Esta percentagem caiu de 56,4% para 50,6% em março e 50,5% em abril.

“Deve ser acrescentado que o valor médio das prestações de desemprego se situa num valor próximo do limiar de pobreza de 2018 (501,2 euros)”, referiu a Inter.

Segundo a CGTP, que cita dados do INE, o valor médio da prestação por beneficiário em 2020 situa-se pouco acima dos 500 euros, por isso, um em cada dois desempregados vive em situação de pobreza mesmo tendo acesso a prestações sociais.

A central sindical lembrou que em 28 de maio o regime de “lay-off” simplificado abrangia 99,5 mil empresas e 804 mil trabalhadores e que estes números deverão subir dado que, até ao dia 02 de junho, mais de 112 mil empresas se tinham candidatado ao regime, empregando cerca de 1 milhão e 344 mil trabalhadores.

Os trabalhadores em lay-off tiveram redução da remuneração e, segundo a Inter, enfrentam “a ameaça de perda de emprego uma vez terminado o “lay-off”, até porque mais de uma em cada quatro empresas que recorreu à medida pertence ao alojamento, restauração e similares, um dos setores mais atingidos pela crise e onde se teme que esta não seja de curta duração”.

“A perda salarial não se circunscreve a estes trabalhadores. Envolve desde logo os trabalhadores despedidos: mesmo que acedam a prestações de desemprego (…) estas não substituem a totalidade do rendimento perdido”, referiu a CGTP acrescentando os que trabalham em casa tendo filhos menores e os trabalhadores independentes com redução total ou significativa de atividade.

 A secretária-geral da CGTP disse à Lusa quer “toda esta situação de empobrecimento dos trabalhadores está a ter repercussões no consumo, que tem vindo a cair”.

“E as medidas que o Governo tem tomado, quer no Programa de Estabilização Económica, quer no Orçamento Suplementar, são insuficientes e desequilibradas pois não resolvem o problema dos despedimentos nem dos cortes salariais”, considerou Isabel Camarinha.

 

Fonte: Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.