Início Conflitos Cerca de 50 ex-combatentes da guerra colonial revindicam apoio frente ao parlamento

Cerca de 50 ex-combatentes da guerra colonial revindicam apoio frente ao parlamento

191
0

Cerca de 50 ex-combatentes da guerra colonial concentraram-se hoje em frente à Assembleia da República para reivindicar medidas de apoio como a isenção de taxas na saúde e nos impostos, acusando o poder político de os ter esquecido.

Aproveitando a presença do primeiro-ministro no parlamento, para participar no debate quinzenal em plenário, os ex-militares concentraram-se junto às escadarias da Assembleia da República, numa iniciativa promovida pelo movimento “Combatentes do Ultramar em Luta” e apoiada pelo Partido Unido dos Reformados e Pensionistas.

Segundo o porta-voz do movimento, Abel Ferreira, a “principal exigência” ao poder político é “a trasladação dos corpos” dos militares portugueses que foram sepultados nas ex-colónias, num número que deverá ascender a 400.

Abel Ferreira criticou que ao fim de 40 anos ainda restem “camaradas cobardemente abandonados em África” em cemitérios “completamente degradados”.

A criação de um “cartão do combatente para esposa ou viúva”, uma pensão mensal de guerra, reformas iguais ao valor do salário mínimo nacional, isenção de impostos nas pensões de reforma, a isenção do IMI na habitação própria, medicamentos gratuitos e a isenção de taxas moderadoras na saúde são as principais reivindicações daqueles ex-militares.

“Viemos tentar que o senhor primeiro-ministro talvez acorde de uma vez por todas, não sei o que é ele tem contra os combatentes, ele e todos os políticos que vivem nesta casa, que de democracia tem muito pouco”, criticou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.