Início Atualidade Festival de dança fundado por portuguesa no Luxemburgo quer mostrar “talento nacional”

Festival de dança fundado por portuguesa no Luxemburgo quer mostrar “talento nacional”

410
0
Kinneksbond_Mamer

A companhia fundada pela bailarina portuguesa Catarina Barbosa e pelo coreógrafo belga Baptiste Hilbert, As We Are (AWA), organiza um fim de semana dedicado à dança no Luxemburgo, com a participação de bailarinos de Portugal.

O festival, que decorre este sábado e domingo no Centro Cultural Kinneksbond, em Mamer, nos arredores da cidade do Luxemburgo, vai contar com ‘workshops’ de dança para profissionais e para o grande público e um espetáculo com peças de vários coreógrafos europeus, incluindo os portugueses António Cabrita e São Castro, diretores artísticos da companhia Paulo Pimenta, em Viseu.

“Para nós era muito importante ter uma companhia portuguesa e mostrar que em Portugal há um talento enorme”, disse à Lusa Catarina Barbosa.

Publicidade

Os bailarinos portugueses apresentam este sábado a peça “Rule of Thirds”, originalmente uma co-produção da Culturgest e do Teatro Viriato, em Viseu, dinamizando ainda dois ‘workshops’.

Para Catarina Barbosa, radicada no Grão-Ducado há cerca de dois anos, o festival é uma oportunidade para “fazer uma ponte entre Portugal e o Luxemburgo”.

Natural da Póvoa de Varzim, Catarina Barbosa iniciou-se na dança com cinco anos, na Academia Gimnoarte, tendo obtido o diploma de bailarina profissional na Escola de Dança do Conservatório Nacional, em Lisboa, em 2009.

A bailarina concluiu a formação na Suíça, no Ballet Júnior de Genebra, onde conheceu o belga Baptiste Hilbert, natural de Arlon, uma localidade na fronteira com o Luxemburgo, com quem fundou a associação AWA.

Um dos objetivos da companhia fundada pelo casal luso-belga é “democratizar” a dança contemporânea, abrindo portas a um público mais vasto.

“As pessoas têm medo de ver dança contemporânea, têm medo de não perceber o espetáculo. Nós queremos abrir a dança a todos, incluindo às famílias, e mostrar que é acessível ao grande público”, explicou à Lusa Catarina Barbosa.

Batizado “Plataforma europeia AWA – As We are”, o festival conta com o apoio do Centro de Criação Coreográfica do Luxemburgo (Trois C-L), da Confederação Nacional da Dança e do Centro Cultural Português – Camões.

Nesta primeira edição participam, além dos bailarinos portugueses e dos organizadores, também o espanhol Eduardo Torroja, o franco-suíço Edouard Hue e o albanês Brigel Gjoka.

O programa completo pode ser consultado no portal www.danse.lu, na internet.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.