Início Portugal Exposição fotográfica em Lisboa mostra como vivem portugueses no Luxemburgo

Exposição fotográfica em Lisboa mostra como vivem portugueses no Luxemburgo

38
0

A exposição fotográfica “Recriar – Portugueses do Luxemburgo”, que documenta vários aspetos da imigração no Grão-Ducado, visa “mostrar aos portugueses como vivem os seus compatriotas no estrangeiro”, disse à Lusa a curadora, Atena Abrahimia.

A mostra, que vai ser inaugurada hoje na Fábrica Braço de Prata, em Lisboa, reúne imagens de quatro fotógrafos, dois luxemburgueses e dois portugueses, sobre vários aspetos da vida dos imigrantes no Grão-Ducado.

Trazer estas imagens a Portugal é importante. No Luxemburgo são imagens familiares, mas é importante mostrar aos portugueses como vivem os seus compatriotas no estrangeiro“, defendeu Atena Abrahimia, a preparar atualmente uma tese sobre a imigração portuguesa, na Universidade Católica, em Lisboa.

Filha de imigrantes iranianos no Luxemburgo, a jovem estudante, de 24 anos, contou à Lusa que sempre a “fascinou” haver tantos portugueses “num país tão pequeno, sem mar, tão diferente de Portugal“, tendo decidido dedicar a tese de mestrado a esta comunidade, que representa cerca de 16% da população do Grão-Ducado.

O título da exposição (“Recriar”) é uma alusão à forma como os primeiros imigrantes procuraram manter tradições portuguesas no Luxemburgo.

Quando se mudaram para o Luxemburgo, os portugueses, tal como muitos outros imigrantes, importaram os seus hábitos, cultura e atividades. Pretendiam recriar uma vida semelhante à portuguesa no país de acolhimento“, tendo “aberto os seus próprios restaurantes, cafés e empresas” e criado “as suas próprias associações, clubes de futebol [e] grupos de danças folclóricas“, pode ler-se no texto do catálogo da exposição, assinado por Atena Abrahimia.

A organizadora aponta ainda que a vida “entre duas ou mais culturas” pode resultar num sentimento “de não pertença”, tanto no país de acolhimento como no país de origem.

A exposição pretende examinar, “através da fotografia, os desafios de identidade e pertença” desta comunidade, mostrando vários aspetos da vida dos portugueses no Luxemburgo.

Foto: Sven Becker

O luxemburguês Sven Becker, fotojornalista no semanário Lëtzebuerger Land, apresenta “Campeão”, uma série de fotografias que mostram “milhares de fãs eufóricos por todo o país” com a vitória de Portugal no Campeonato da Europa, em 2016.

Em “Última Estação: Esperança”, a fotógrafa independente Jessica Theis acompanhou duas famílias portuguesas que chegaram ao Luxemburgo na última década, forçadas a emigrar pela crise.

O fotógrafo Paulo Lobo, responsável da revista luxemburguesa Wunnen e membro do coletivo “Street Art Photography Luxembourg”, assina “Coração de Aço”, sobre as várias gerações de portugueses que vivem em Differdange, uma localidade ligada no passado à produção siderúrgica, no sul do país, e onde 34% da população é portuguesa.

Já Bruno Oliveira, que chegou ao Luxemburgo com um ano, apresenta a série “Saudade”, fotografias sobre a vida privada dos portugueses, além de imagens do Rancho Folclórico Juventude Portuguesa de Dudelange, fundado em 1979, que organiza todos os anos as Marchas de Santo António, aponta o catálogo.

A exposição, que conta com o apoio da Embaixada do Luxemburgo em Portugal, é inaugurada hoje às 19:00 na Fábrica Braço de Prata, em Lisboa, podendo ser vista até 30 de junho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.