Início Culturas Arquitetura Leão de Ouro para Souto de Moura. “Estou contente pela arquitetura portuguesa”

Leão de Ouro para Souto de Moura. “Estou contente pela arquitetura portuguesa”

O júri distinguiu a obra de recuperação e transformação de uma unidade hoteleira de um antigo monte alentejano, em São Lourenço de Barrocal

100
0

Eduardo Souto de Moura foi distinguido este sábado na Bienal de Arquitetura de Veneza com um Leão de Ouro.

O arquiteto português considera o prémio “o reconhecimento do valor e do nível da arquitetura portuguesa“, que “cada vez é mais reconhecida nos sítios que exigem mais qualidade”.

É mais uma [distinção], estou contente pela arquitetura portuguesa, que cada vez é mais reconhecida nos sítios que exigem mais qualidade“, afirmou Souto de Moura em declarações à agência Lusa após ter sido distinguido na 16.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, que abriu hoje ao público.

Considerando que “o pavilhão de Portugal [na exposição] era dos melhores, com um conjunto de arquitetos que não é fácil encontrar“, Souto de Moura encara esta nova distinção como “o reconhecimento do valor e do nível da arquitetura portuguesa”.

Isto tudo vem de uma tradição do Siza [Vieira], do [Fernando] Távora e de outros arquitetos“, sustentou, salientando que atualmente “a arquitetura portuguesa é muito bem vista” e tem “uma qualidade superior à da maior parte dos países europeus“.

E já não é de agora, estamos fartos de ganhar prémios, o que para mim é uma vaidade, ficamos orgulhosos“, acrescentou.

O júri distinguiu o complexo turístico de São Lourenço do Barrocal, a recuperação de um monte alentejano e a sua adaptação a hotel.

A 16.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza abriu hoje ao público, na cidade italiana, com a participação de Portugal através da exposição “Public Without Rethoric”.

O certame dedicado à arquitetura – cujo prémio máximo é o Leão de Ouro – recebe 65 participações nacionais, divididas entre os pavilhões históricos do Giardini, do Arsenale e do centro histórico de Veneza.

Souto de Moura foi um dos 100 arquitetos convidados pelas curadoras da Bienal da Arquitetura de Veneza, Yvonne Farrell e Shelley McNamara, do Grafton Architects, para a exposição principal, espaço expositivo além dos pavilhões nacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.