Início Conflitos Cinco agentes policiais mortos em motim num centro de detenção indonésio

Cinco agentes policiais mortos em motim num centro de detenção indonésio

624
0

Cinco agentes policiais e um detido morreram e um agente foi feito refém, durante um motim num centro de detenção perto de Jacarta, na quarta-feira, que envolveu um grupo extremista filiado no Estado Islâmico (EI).

De acordo com o porta-voz da polícia indonésia, Muhammad Iqbal, as negociações para a libertação do refém estão em curso, sem que tenha sido posta de lado, caso as negociações fracassem e os detidos recusem render-se, uma “ação dura”, mas que será sempre o “último recurso”.

Muhammad Iqbal explicou que os tumultos no centro de detenção de Depok, na periferia sul de Jacarta, começaram devido a uma disputa de alimentos e que os detidos invadiram a sala de munições e conseguiram agarrar em armas de fogo, entrando em confronto com os agentes de contraterrorismo presentes no centro de detenção.

Publicidade

As autoridades do país declararam ainda que quatro polícias foram feridos e estão a receber cuidados médicos.

No último sábado, em Depok, na periferia sul de Jacarta, a polícia deteve três militantes do grupo extremista islâmico que, de acordo com as autoridades, planeavam atacar um quartel da polícia e outras esquadras na cidade. Os militantes foram postos no centro de detenção.

A Amaq, agência do EI que difunde habitualmente os comunicados da organização, declarou que os seus combatentes tiveram participação no motim.

Esta declaração foi confirmada por um porta-voz das autoridades indonésias. De acordo com a mesma fonte, os extremistas pertencem à rede islâmica Jemaah Anshorut Daulah, uma rede de extremistas ativa no país, formada em 2015, que jurou fidelidade ao EI.

A rede Jemaah Anshorut Daulah, com mais de uma dúzia de grupos filiados, foi implicada em vários ataques na Indonésia no ano passado.

A Indonésia tem vindo a tentar reprimir os grupos extremistas islâmicos no país, desde o atentado em Bali, em 2012, que matou 202 pessoas, na maioria estrangeiros.

A rede tinha sido neutralizada após a detenção de centenas de militantes, mas com o aparecimento do EI mais radicais islâmicos juntaram-se ao Jemaah Anshorut Daulah.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.