Início Política Oliveira do Hospital quer jogo de solidariedade da seleção em Coimbra

Oliveira do Hospital quer jogo de solidariedade da seleção em Coimbra

760
0
COMPARTILHE

O presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, critica a Federação Portuguesa de Futebol por “se ter esquecido” do distrito de Coimbra e quer um jogo de solidariedade para com as vítimas dos incêndios em Coimbra.

O autarca, reeleito, pelo PS, nas eleições de 01 outubro, critica a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), por esta “se ter esquecido do distrito de Coimbra na realização dos dois jogos solidários da seleção portuguesa para ajudar as vítimas dos incêndios do dia 15 de outubro”, afirma numa nota do município enviada à agência Lusa.

A FPF está a promover a angariação de fundos para as vítimas dos incêndios deste ano através da venda de bilhetes (e chamadas telefónicas) para jogos de Portugal com as seleções da Arábia Saudita e dos EUA, nas cidades de Viseu e de Leiria, respetivamente.

O primeiro dos dois jogos, que também servem de preparação para a fase final do Mundial de 2018 e com transmissão direta nos três canais de televisão generalistas (RTP1, SIC e TVI), realizou-se na sexta-feira, à noite, no Estádio do Fontelo, em Viseu (Portugal venceu por 3-0), estando o jogo da seleção nacional com os Estados Unidos agendado para terça-feira, também às 20:45, no estádio de Leiria.

José Carlos Alexandrino estranha que a Federação tenha anunciado a intenção de canalizar o dinheiro angariado, através desta iniciativa, para as vítimas dos incêndios nas regiões de Viseu e de Leiria, tendo sido o distrito de Coimbra o mais afetado.

Só no concelho de Oliveira do Hospital, os incêndios provocaram 12 mortes e vários feridos, atingiram 170 primeiras habitações e 95 empresas (cujos prejuízos estão estimados em cerca de 100 milhões de euros), mataram cerca de cinco mil animais e destruíram 97% por cento da floresta do município, refere a Câmara.

“O futebol sempre serviu para unir os povos e as nações e, perante a tragédia que se abateu sobre o distrito de Coimbra”, José Carlos Alexandrino não compreende “a insensibilidade social da Federação Portuguesa de Futebol, ao promover iniciativas solidárias com esta delimitação territorial e com critérios suscetíveis de causar revolta nos cidadãos deste distrito que perderam tudo ou quase tudo”.

Enquanto “entidade de utilidade pública”, a FPF “tem responsabilidades acrescidas”, sustenta o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, apelando para a “solidariedade” para com “os distritos atingidos pela tragédia dos incêndios” e desafiando o líder da Federação, Fernando Gomes, a “reparar esta situação, através da rápida realização de um jogo solidário da seleção nacional no Estádio Municipal de Coimbra”.

“É o mínimo que a FPF pode fazer porque, perante esta catástrofe, todos somos poucos para ajudar a devolver a felicidade às vítimas daquele que foi o pior domingo das nossas vidas”, conclui José Carlos Alexandrino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here