Início Sci-Tech Tecnologia Tecnologia portuguesa gera interesse na exploração espacial

Tecnologia portuguesa gera interesse na exploração espacial

296
0
COMPARTILHE

REVOsdr, que irá revolucionar comunicações sem fios, poderá ser usada na comunicação com drones ou na interação com o mundo virtual

A tecnologia com selo nacional parece não ter limites. A prová-lo está a mais recente inovação desenvolvida por Carlos Ribeiro – investigador do Instituto de Telecomunicações (IT). Trata-se do REVOsdr, tecnologia 100 por cento portuguesa e que permite a comunicação wireless em tempo real a alta velocidade. O projeto, que deu origem àstartup TWEvo, já foi premiado pela Universidade Carnegie Mellon, dos Estados Unidos da América, muito devido às potenciais aplicações, desde as mais triviais até às mais extraordinárias, da tecnologia.

Refira-se que o sistema, que promete revolucionar as comunicações sem fios, poderá ser usado, por exemplo, na exploração de outros planetas ou no simples modo como interagimos com o mundo virtual. Poderá, ainda, ser usada ao nível da agricultura inteligente, nomeadamente na comunicação entre máquinas agrícolas robóticas em agricultura extensiva, que terão a capacidade de percorrer enormes campos sem terem um operador humano ao volante. Neste caso em concreto, é importante destacar que a tecnologia desenvolvida pelo investigador português já captou o interesse de uma das principais marcas que preparam máquinas deste tipo – a Carnegie Robotics LLC, que trabalha com a John Deere, um dos maiores produtores mundiais de aparelhos agrícolas.

 

Drones: Menos atrasos e maior precisão

A exploração extraterrestre assume-se, contudo, como o passo mais excecional da TWEvo. Carlos Ribeiro revela que “uma das reuniões mais extraordinárias que tive, nos EUA, foi com o CEO da Astrobotics, uma das poucas empresas norte-americanas que produzem rovers utilizados na exploração de outros planetas”. “Nem queria acreditar no interesse de uma empresa que está a criar veículos autónomos para serem usados na colonização de Marte”, conclui o investigador do Instituto de Telecomunicações.

 

O foco prioritário da startup são, no entanto, os drones, mais concretamente o combate aos atrasos que ocorrem na transmissão devido à compressão de vídeo. A tecnologia da TWEvo assume-se, por isso, como a solução adequada, uma vez que permite obter maior rapidez e precisão, o que permitirá trabalhos de alto rigor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here